Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

04
Dez 10

 

            “Esta noite tive um sonho… foi muito estranho; não consigo explicar bem a história, mas da acção principal lembro-me muito bem: não parava de cuspir; estava sentado e cuspia, levantava-me e cuspia, saía à rua e cuspia… Queria deixar de o fazer, mas não sei porquê não conseguia, e cada vez cuspia mais”.

 

            Cuspir no sonho simboliza a acção de tirarmos de cima algo que não nos agrada. Uma situação concreta está a incomodá-lo há já algum tempo e deve tentar resolvê-la com calma.

 

             É possível que as pessoas que o estão a incomodar não o façam conscientemente. A sua maneira de lidar com elas poderá estar a provocar o seu desdém.

 

            Rectifique o seu comportamento e verá como volta tudo à normalidade.

 

            Por outro lado, este sonho é um indício de que pode estar a ingerir alimentos que não lhe fazem bem, tanto no plano real – alimentos - como no metafórico - aprendizagem. Está provavelmente a rejeitar uma solução.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 23:17

Valew
Anónimo a 12 de Setembro de 2011 às 12:51

Nossa, tô meio impressionada. Essa noite sonhei algo muito estranho.
Um casal de índios viviam em um apartamento, como pessoas da cidade comuns.
O índio trabalhava o dia inteiro fora de casa, e a índia ficava tomando conta dos filhos. Ela estava perturbada, algo relacionado com a mente, sistema nervoso.
Ela perde a paciência com 3 filhos, crianças, e mata todas elas, sobrando apenas um de mais ou menos 2 anos.
Quando o pai chega à noite do trabalho, pega o filho pequeno no colo pra colocar pra dormir, pois a mãe está impaciente com ele, sentada no sofá fazendo crochê.
O índio fica andando pela sala, ninando o filho menor, achando que os outros já estão dormindo. O bebê estava inquieto, abusando, e começa a cuspir no chão, enquanto o pai caminha com ele no colo. A mãe resmungava, chamando-o de chato, barulhento, nojento, falando pro pai pra fazê-lo parar de cuspir no chão. O pai irritado com a impaciência da mãe, diz pra ela deixar o menino fazer isso, que não tinha problema, que ele estava daquele jeito porque estava com sono, e começa a cuspir no chão também, dizendo que era bobagem.
Daí, caminhanbdo pela sala, o pai chega perto de um canto entre um sofá e uma mesa e vê os corpos dos outros três filhos amontoados. Solta um grito horrendo que me faz acordar.
As cenas do pai colocando o bebê pra dormir oscilam com cenas dele dando entrevista para um repórter sobre o assassinato cometido pela esposa. Nestas cenas, ele está de roupa comum, mas muito pintado, como um índio. Fico com a ideia de que ele era um pajé, não sei o porquê.
Foi muito estranho esse pesadelo...
Mil a 30 de Agosto de 2012 às 12:54


contador
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


contador
pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO