Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

03
Jan 11

 

            A superstição nasceu com o homem, quando ele atingiu a faixa etária do discernimento. Encontra-se mais desenvolvida nas camadas sociais inferiores, onde o nível cultural é de qualidade mais baixa. Não obstante isso, acha-se também entre os intelectuais e os sábios, não raras vezes com maior intensidade.

 

            Poderá ser definida como sentimento de veneração ou de repulsa, com respaldo no temor e na ignorância dos factos e fenómenos. Suas consequências mais aproximadas estão no cumprimento de deveres estranhos e falsos ou na adesão da crença a objectos e ocorrências, embora de modo infrutífero. Mas, como em grande parte das vezes a superstição se casa com a coincidência dos factos, o supersticioso torna-se cada vez mais apegado às suas ideias.

 

            A superstição arrasta as pessoas à prática de actos indevidos, absurdos, ridículos e contrários ao bom senso e à razão bem formada. Por seu intermédio atribui-se a certas práticas uma espécie de poder mágico ou pelo menos eficácia sem fundamento. No dizer de Bacon, ela forja os ídolos do vulgo, os génios invisíveis, os duendes, as bruxas e os vampiros.

 

            Existem muitas superstições que muitos supersticiosos usam para atrair o dinheiro e a sorte, ora vejamos algumas: 

 

             Estatueta de elefante deve ficar com o rabo para a porta da rua, a fim de atrair dinheiro.

 

            Coceira na mão esquerda é sinal de dinheiro.

 

            A pessoa levar um corte é sinal de riqueza.

 

            Quando o grilo canta na sala de visita é dinheiro que vai chegar.

 

            Quando a pessoa leva um tombo, tem dinheiro enterrado no local onde cai.

 

            Aranha com cinco pernas, fortuna perto.

 

            Quando o menino nasce com o umbigo para baixo, é sinal de ser pobre.

 

            Quem dá esmola através da janela fica pobre.

 

            Trevo de 4 folhas, secar e guardar: muito dinheiro no bolso

 

            Ferraduras: virar as duas pontas de uma ferradura para cima traz boa sorte.

 

            Romãs: para atrair dinheiro, coma sete partes e guarde as sementes na carteira.

 

            Uma nota de dinheiro dentro do sapato: os orientais dizem que a energia entra no nosso corpo pelos pés. Daí o dinheiro no sapato atrai mais e mais riquezas.

 

            As flores da casa devem ser amarelas para chamar ouro.

 

            Jogar moedas da rua para dentro de casa: atrai riqueza para todos que moram no lugar.

 

            Compre um lenço e na noite de 31 de dezembro, exatamente na hora da passagem do ano novo, molhe-o e coloque-o para secar. Antes do sol nascer, recolha o lenço e amarre dentro dele alguns níqueis. Só abra esse embrulho na meia-noite do próximo 31 de dezembro. Daí para frente, nunca mais há de faltar dinheiro.

 

            Não passe o Ano Novo com os bolsos vazios.

 

            Coma doze uvas verdes, à meia-noite do Ano Novo, para ter dinheiro em todos os meses do ano.

 

            Guarde em lugar seguro, para ninguém achar, a tampa da garrafa de champangne, que tenha feito muito barulho, usada na festa de Ano Novo, chama dinheiro.

 

PROF. KIBER SITHERC 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 00:28

As vezes encontra-se com cada coisa para "atrair" dinheiro...enfim :)
Joao a 12 de Janeiro de 2011 às 00:33


contador
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


contador
pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO