Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

26
Jan 11

 

            A Quirologia tem que ser aplicada metodicamente. As linhas, os sinais e as configurações da mão não podem ser estudadas isoladamente e de uma forma desordenada.

 

            Este sistema é baseado no M. Arpentigny.

            Analisamos primeiro o polegar. Feito isto, examinamos a extremidade dos dedos: quadrados, pontiagudos, cónicos, espatulados e etc. Estudaremos cuidadosamente a sua forma, seja ela lisa ou modificada pelos nós filosóficos ou de ordem material. Observando a sua base, verificaremos se os gostos materiais são mais longos que a palma da mão, ou se esta é maior que os dedos ou se são ambos de igual tamanho.

 

            Estudaremos as unhas, a sua configuração: compridos, estreitos, moles, frágeis e etc. a sua cor e se é quirologicamente normal.

 

            Depois estudaremos a configuração da mão, se ela é comprida ou curta, dura ou demasiado mole e macia, se é fria ou quente.

 

            Então, entraremos propriamente dito na Quirologia; a Quirologia (antiga quiromancia) estuda o interior da mão, enquanto a quirognomonia ocupa-se com o exterior da mão.

            Examinamos os montes a fim de ver qual o que se salienta pelo seu relativo desenvolvimento. Ficamos a saber se a paixão dominante é a imaginação, o amor, a ambição, a arte, a ciência ou o comércio.

 

            A fim de saber se este gosto principal é energicamente protegido interrogamos as linhas principais: da Vida, da Cabeça, do Coração, e linha do Destino. Depois estudaremos as linhas menores: do Sol, Mercúrio, etc.

 

            Para terminar o nosso trabalho, examinaremos os pontos, as estrelas, os quadrados, os círculos, as ramificações, as ilhas, as cadeias e os triângulos. Tendo sempre o cuidado de os modificar consoante o sítio aonde se encontram, sobre o monte Marte, Júpiter, Sol, etc.

 

            Procederemos, em seguida, a um resumo do conjunto; os instintos mais bem secundados dominam os demais, devorando-os; o bem domina o mal e o mal domina o bem; calculamos a força de acção e a resistência, e comparamos; e, segundo os instintos gerais, mais ou menos nobres, classificamos os mundos: o primeiro mundo do Sol, por exemplo, será a glória baseada na inspiração dirigida à beleza; o segundo, a celebridade baseada na ambição; o terceiro, a fortuna a assim sucessivamente.

 

            Terminado o trabalho, fazemos os nossos cálculos e dizemos, aquilo que nos dita a consciência.

            Este trabalho, moroso e difícil nos primeiros tempos, faz-se depois com grande rapidez, tal como sucede quando se aprende a ler. É necessário balbuciar o abecedário, pronunciar as letras, e em seguida saber-se ler.

 

            Síntese do modo de aplicar a Quirologia:

 

            1) - Estudo do polegar e dos outros quatro dedos.

           

            2) – Estudo das unhas.

 

            3) – Estudo quirognómico da mão.

 

            4) – Estudo dos montes.

 

            5) – Exame das quatro linhas principais.

 

            6) – Estudo das quatro linhas menores.

 

            7) – Por último resumo de todos os sinais que se encontram na mão.

 

PROF. KIBER SITHERC 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 22:29


contador

contador
pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO