Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

12
Abr 11

 

            Porto Covo é uma das duas freguesias do concelho de Sines, com 48,73 km² de área e 1 116 habitantes (2001). Densidade: 22,9 hab/km².

 

            A Ilha do Pessegueiro, com o seu forte, faz geograficamente parte do território da freguesia de Porto Covo.

 

            A freguesia de Porto Covo foi criada em 31 de Dezembro de 1984, por desanexação da freguesia de Sines, até então a única do concelho do mesmo nome (o qual deixava assim de ser dos sete municípios portugueses com apenas uma freguesia a integrar o seu território).

 

            Na aldeia de Porto Covo existe a Praia Grande, situada a cerca de 160 quilómetros de Lisboa e uma das mais procuradas por locais e turistas.

 

            Praia marítima, é vigiada com nadadores-salvadores. Tem apoios de praia, parque de estacionamento, limpeza do areal e recolha de lixo. Água e areal em condições, por isso ostenta a bandeira azul. Serve muito à prática do surf. A temperatura desta água atlântica pouco baixa dos 15 °C, considerada um paraíso em tempo de férias.

 

            A Praia do Espingardeiro, a Praia Pequena e a Praia dos Buizinhos são pequenas praias de areia na costa recortada por rochedos, criando espaços ambientes quase selvagens e ao mesmo tempo íntimos.

 

            Não é só uma aldeia turística com belas praias, também se festeja todos os anos “As festas de Agosto”. O dia da padroeira de Porto Covo, Nossa Senhora da Soledade comemora-se no dia 29 de Agosto, ao fim da tarde desse dia, o povo leva a imagem em procissão pelas principais ruas da aldeia.


            As festas religiosas são acompanhadas por um programa de celebrações "profanas" na freguesia, que inclui fogo-de-artifício, baile, noite de fados e guitarradas e um espectáculo sempre com um dos mais populares artistas portugueses. Quim Barreiros e Toy, já actuaram em anos anteriores.

 

            As festas de Porto Covo voltam sempre a esta aldeia alentejana em Agosto e com elas a já antiga tradição da Apanha dos Patos. Todos os anos os aventureiros saltam para a água com o objectivo de levar um pato para casa. Ainda que alguns afinem estratégias, todos concordam que a sorte é muito importante. Já quanto ao destino a dar aos patos as dúvidas são muitas. Há mais de 50 anos se cumpre a tradição da apanha dos patos ou a corrida aos patos. Os patos são atirados ao mar e todos tentam apanhar o mais depressa possível o seu troféu: o pato. No final, alguns são guardados como animais de estimação mas outros acabam mesmo na panela

 

            Para além da Apanha dos Patos, na aldeia de Porto Covo têm sempre lugar cerimónias religiosas, concertos com vários artistas e um já afamado espectáculo de fogo-de-artifício.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 22:50


contador

contador
pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO