Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

09
Set 10

 

            A astrologia é uma das artes mais antigas da China e existem registos de que ela surgiu há mais de 5 mil anos. Hoje, ela é praticada por todos e têm grande importância na vida dos chineses.

 mix_209.gif (10194 bytes)

            O horóscopo chinês se baseia no ciclo lunar de 60 anos, sendo cada ano regido por um animal. Ele é diferente da nossa astrologia ocidental, que se baseia na órbita da Terra em torno do Sol. Para saber mais sobre o seu signo chinês, clique na tag: ASTROLOGIA CHINESA.

 mix_350.gif (11157 bytes)

            Conta a lenda que, quando Buda atingiu o conhecimento supremo, ele mandou chamar todos os animais do mundo, para com ele celebrarem. Apenas doze compareceram, então, Buda ofereceu, a cada um deles como recompensa, um ano para reger. Estes são os doze animais que nós conhecemos hoje, como sendo os dos signos da Astrologia Chinesa: Rato, boi, tigre, coelho, dragão, serpente, cavalo, carneiro ou cabra, macaco, galo, cão, e porco. Assim ficou os doze signos pela ordem de chegada até aos dias de hoje.

 jua_4_08.gif (10069 bytes)

             Na verdade estes doze animais já eram usados muito antes de Buda ter nascido. E não se limitam à Astrologia Chinesa. Também são usados no Tibete, na Indonésia, na Malásia e noutros países Asiáticos. Cada animal, com as suas características próprias, representa um determinado tipo de pessoa. Quem quer que os tenha escolhido, tinha, sem dúvida, o seu quê de psicólogo, pois conseguiu resumir nestes animais, e com grande exactidão, diversos tipos de pessoas.

 affe005.gif (21962 bytes)

            Há uma tradição chinesa que explica a ausência do gato, entre os 12 animais, diz, resumidamente, que: "Foi confiada ao rato a tarefa de convidar os animais para que se apresentassem ao Imperador de Jade para um banquete, onde seriam escolhidos os signos do zodíaco. O gato era um bom amigo do rato, mas o rato enganou-o, fazendo com que acreditasse que o banquete seria no dia seguinte. O gato dormiu enquanto o banquete era realizado, imaginando que só ocorreria no dia seguinte. Quando descobriu a verdade, prometeu ser o inimigo natural do rato pelas eras a partir dali."

 katze019.gif (7545 bytes)

            No início eram vinte e oito animais, um para cada dia do mês. Actualmente, e embora trabalhemos apenas doze animais, há outros factores que temos de ter em consideração. Cada pessoa é fruto da combinação de três animais: um para o ano, outro para o mês e outro para a hora do nascimento. E há mais: cada animal tem cinco variações distintas, que se baseiam no elemento que governa o ano de nascimento.  

 horse01.gif (18031 bytes)

            Os Animais Lunares

 

            O seu animal lunar fornece-lhe um conhecimento profundo acerca da forma como se relaciona com os outros. Suponha que, de acordo com o seu animal do ano, é Tigre activo e aventureiro, mas se o seu animal lunar é a Lebre. Exteriormente, poderá se corajoso e até imprudente (as características do Tigre), mas a Lebre Lunar revela-lhe que é muito calmo, sensível e intuitivo quando se relaciona com os outros (as características da Lebre). Se souber qual é o animal lunar do seu companheiro, poderá compreendê-lo melhor, através de uma perspicácia quase mágica.

 tigre02.gif (7919 bytes)

            Os Animais Ocultos

 

            Depois precisa saber qual é o animal que corresponde à hora do seu nascimento. Na Astrologia Chinesa, o dia está dividido em doze secções de duas horas; cada uma dessas secções é regida por um animal em particular. Este animal dá-lhe a conhecer a sua verdadeira natureza, o seu Eu mais oculto. Suponha que é um Tigre, um Coelho Lunar e, pela hora, uma Serpente. A faceta que expõe perante o mundo é grandiosa e aventureira; na sua forma de se relacionar com os outros é sensível e intuitivo; mas o seu Eu verdadeiro, o mais oculto, é misterioso e profundo (características da Serpente) - de forma alguma aquilo que se esperaria de um Tigre.

 schwein6.gif (11153 bytes)

            Os Cincos Elementos

 

            Na Astrologia Chinesa acredita-se que tudo o que existe no Universo é fruto da combinação de cinco elementos: Terra, Água, Metal, Madeira e Fogo; e que em tudo predomina um deles. Do mesmo modo, cada um dos doze animais é predominante um dos cinco elementos. Por exemplo, o Cavalo é um animal de Fogo, enquanto o Búfalo é um animal de água, estes são os seus elementos naturais. Não há animais da Terra - isto deve-se ao facto de os elementos se basearem numa orientação cardeal, e de a terra ocupar o centro. Da mesma forma que cada um dos animais tem o seu elemento natural. Imagine que nasceu em 1960: este é um ano do Rato e um ano do metal, o que faz de si um Rato de metal. E, assim, cada animal tem cinco tipos distintos, dependendo do ano do nascimento. Alguns anos poderão estar em harmonia com o elemento natural do animal, outros entrarão em conflito com ele. Por exemplo a água é ajudada pelo metal - imagine um balde de metal a carregar a água - e por isso, 1960 não é um mau ano para um Rato. No entanto, imagine um Rato nascido em 1996, um ano do fogo: o Rato do fogo terá que se esforçar bastante para manter os seus níveis de energia baixos, sob pena de o fogo do ano fazer ferver a água do animal.

dog_digg_md_wht.gif (9336 bytes)

            O elemento do ano será sempre o dominante, por isso, precisa de consultar o "ciclo da harmonia", para saber se o seu elemento natural e o elemento do seu ano estão a trabalhar a seu favor ou não.  Consulte a tag: ASTROLOGIA CHINESA.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 08:51

04
Mai 10

Livro dos Sonhos

 

                A oniromancia é a adivinhação pelos sonhos a sua interpretação é tão antiga como a Humanidade.

            Os sonhos são vistos como o presságio em que melhor podemos confiar, e, desde os primórdios da humanidade, ocultistas, sacerdotes pagãos e xamãs os têm utilizado para adivinhar o futuro.

 

            Existem vários tipos diferentes de sonhos: pesadelos ou imagens torcidas que, muitas vezes, são causadas por pressões do ambiente ou por problemas físicos, sonhos causados por emoções suprimidas, experiências fora do corpo (também conhecidas como projecções astrais) e sonhos proféticos, que são sonhos vívidos relacionados a acontecimentos futuros.

 

            Um número significativo de sonhos é de natureza profética, especialmente aqueles que acontecem três noites seguidas, de acordo com a tradição popular. Os sonhos proféticos, quando correctamente interpretados, podem revelar o futuro, tanto por quadros directos como por simbolismo. Quando aparecem imagens sagradas ou transcendentais num sonho, chamamos de sonho elevado. Os sonhos telepáticos (também conhecidos como sonhos PES) são experiências nas quais aquele que sonha capta as energias do pensamento de outra pessoa ou espírito. (Sonhos dessa natureza em geral estão ligados a acontecimentos actuais.)

 

            Os sonhos psíquicos contêm mensagens importantes, avisos e outras comunicações. Esse tipo particular de sonho é frequentemente tão forte e profundo que acorda quem está sonhando. O sonho lúcido é aquele no qual a pessoa que sonha está consciente sabendo que está sonhando. Os sonhos são altamente simbólicos, sendo importante registá-los num livro ou diário logo ao despertar para não os esquecer mais tarde. (Segundo certas superstições folclóricas, é considerado sorte alguém esquecer o sonho da noite anterior.) Após registá-los (e também os pesadelos), você poderá estudá-los quanto a padrões e símbolos que se repetem e interpretá-los utilizando um dicionário de sonhos.

 

            Algumas ervas eram usadas tradicionalmente pelos adivinhos nos seus travesseiros para obterem sonhos mágicos, ou em poções para induzir visões em sonhos proféticos.

            Algumas delas eram: língua-de-cobra, agrimónia, anis, cânfora, canela, margarida, azevinho, lúpulo, hera, raiz de mandrágora, malmequer, visco, artemísia, cebola, hortelã-pimenta, bolsa-de-pastor, rosa, erva-de-são-joão, verbena, absinto, etc.

 

            A oniromancia é a adivinhação pelos sonhos; enquanto a onirologia interpreta os sonhos de uma maneira psicológica, para nos conhecermos melhor, e resolvermos os nossos problemas.

            Veja a tag: onirologia.  

 

PROF. KIBER SITHERC 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 11:54

25
Abr 10

 

                A anemomancia é a previsão pela observação dos ventos.

            Todos os fenómenos da natureza não deixaram o homem indiferente. Esta mancia nasceu e desenvolveu-se entre todos os povos, e é um dos sistemas de adivinhação mais antigo.

 

            Vejamos algumas interpretações da anemomancia que chegaram até nós:

           

            Quando o vento sul assopra, e não chove, e ora faz frio, ora calor, e começa a chover várias vezes, e logo para é sinal de pestilência e graves enfermidades.

 

            Quando o vento sul assopra muitas vezes no verão, denuncia febres agudas e dores de ventre, principalmente nas mulheres, ou nos que forem de húmida constituição.

 

            Quando chove, e faz vento sul no Verão e Outono, denota enfermidades no Inverno.

 

            Rajada de ventos: grande viagem iminente, ou importante notícia do estrangeiro.

 

            Correntes de ar: mudança brusca de situação. Mudança de casa improvisada.

 

            Vento sibilante: maledicência, calúnias, informações fraudulentas.

 

            Vento impetuoso: expedição longínqua cheia de riscos e de descobertas excitantes.

 

            Zéfiro: o sujeito deve descansar e distrair-se.

 

            Vento rodopiante: excelente presságio no domínio intelectual. Circunstâncias imprevistas e agitadas mas dinâmicas.

 

            Vento murmurante: múltiplos projectos sem futuro. Mal-entendidos e aborrecimentos.

 

            Furacão: é tempo de varrer as rotinas, os condicionamentos restritivos, as servidões acumuladas.

 

            Existe um processo muito praticado na Onemomancia que é o seguinte:

 

            Consiste em observar os efeitos do vento sobre as folhas das árvores ou sobre bocados de tecidos. Faz-se uma pergunta e olha-se na direcção indicada pelo vento: ascendente, a resposta é positiva; descendente, anuncia contrariedades importantes; oblíqua, trata-se de atrasos; a direito, é sinónimo de esforços coroados de êxito.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 01:57

24
Abr 10

 

                A xilomancia é a adivinhação pelas árvores. Os processos adivinhatórios ligados às árvores são inúmeros e universais. De maneira geral, os ramos partidos ou as quedas de folhas prematuras são presságios funestos para as pessoas da vizinhança: ruína, doença ou morte.

 

            Os videntes dos tempos bíblicos examinavam e interpretavam os desenhos formados sobre o solo por galhos, ramos, brotos e outros pedaços de árvore. No início, só se usavam galhos que tivessem caído de forma natural. Num método posterior, os adivinhos retiravam metade da casca dos galhos e os jogavam sobre a terra, formando um desenho aleatório. Os galhos que caíssem com a face descascada para cima seriam interpretados.

 

            A árvore é um dos símbolos tradicionais mais essenciais, e seu culto tem sido parte importante e altamente influente na história da religião de quase todas as raças sobre a face da Terra. No culto às árvores de muitas culturas pagãs antigas, a maioria delas era tida como feminina, e a sua seiva, oferecida em cálices dourados aos deuses. Acreditava-se que todas as suas partes possuíam poderes místicos.


            As árvores eram símbolo essencial da religião caldeia. Símbolos em forma de árvore foram encontrados nos templos antigos e em cilindros gravados, e há descrições de usos dos ramos tanto nas cerimónias religiosas como mágicas nos textos sagrados dos caldeus.


            Árvores sagradas estilizadas, cercadas de seguidores e decoradas com grinaldas aparecem em muitas esculturas indianas dos tempos antigos. (Outro estágio de estilização da árvore sagrada é sua decoração com máscara ou artigo de vestuário para simbolizar a deidade; e por fim, a escultura do seu tronco numa estátua.)

 


            Na Grécia, quando se honrava um deus ou uma deusa, eram colocadas grinaldas feitas dos galhos da sua árvore sagrada sobre a mesma, que era então adorada.

 

            Mas cada espécie possui o seu significado, as  suas virtudes e os seus poderes específicos. Eis alguns exemplos:

 

            O teixo é um símbolo, ao mesmo tempo de morte e de imortalidade. Deve, portanto, ser tratado com respeito, sob pena de atrair a desgraça.

 

            O salgueiro é uma árvore essencialmente romântica, tradicionalmente ligada aos males do coração. Basta usar um ramo para reconquistar um parceiro volúvel.

 

            A sorveira assegura uma protecção eficaz contra os demónios e os feitiços.

           

            O carvalho é uma árvore mágica por excelência. O conteúdo das bolotas é revelador; assim, uma aranha dentro de uma bolota anuncia a doença, ao passo que um verme é sinal de fortuna, e, uma mosca, de má notícia.

 

            Um mirto que floresce no jardim é uma promessa de casamento para um dos habitantes da casa.

 

            A aveleira tem poderes excepcionais. Basta formular um desejo com ramos de aveleira nos cabelos: será satisfeito.

           

            Se uma criança que acaba de nascer for colocada debaixo de um ácer, terá uma existência próspera e uma notável longevidade.

 

            A madeira de sabugueiro nunca deve ser queimada numa lareira: isso seria atrair a desgraça para a casa.

 

            O loureiro atirado às chamas deve crepitar alegremente: anuncia então, a fortuna e o êxito. Se arder em silêncio torna-se presságio de insucesso e de aflição.

 

            Uma macieira que floresce fora da estação anuncia uma recrudescência de casamento e de nascimentos na região.

 

            Uma rapariga que deseje conhecer a identidade do futuro marido deve meter uma folha de freixo no sapato esquerdo. O primeiro homem que encontrar será o feliz eleito.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 22:46

20
Abr 10

 

                A acutomancia é a adivinhação pelos objectos agudos. Foi Collin de Plancy quem, em 1818, a menciona pela primeira vez no seu Dictionaire Infernal. Pratica-se esta arte divinatória, ora com agulhas, ora com alfinetes ou pregos.

 

            Estabelece-se previsões conforme as formas obtidas pelos objectos aguçados atirados para um tapete, para um prato ou uma tigela de preferência branca. As agulhas poderão ser sete, treze ou vinte e quatro, que se lançam sobre uma superfície lisa. Examinam-se, em seguida, as figuras obtidas, a partir dos critérios seguintes:

 

            Em forma de cruz +: revela uma rotura, acidente ou perigo de saúde.

            Cruz em forma de X: revela sorte e período favorável.

            Em forma de triângulo: revela equilíbrio e boa saúde.

            Em forma de quadrado: indica conflitos e grandes discussões.

            Forma oblíqua: significa problemas imprevistos.

            Linha vertical: significa acontecimento feliz.

            Linha horizontal: indica aquisições, bens materiais e fortuna.

            Linhas paralelas: indica aproximação de dinheiro.

            Linha angular: obstáculos a serem superados.

            Linhas em traços contínuos: revela deslocações e viagens.

            Linha horizontal e outra vertical: indica sofrimentos, doença e infelicidade.

            Três linhas tocando-se nas pontas: Indica mudanças de emprego.

            Linhas em forma de grade: revela morte de parentes.

 

            As agulhas, ou os objectos agudos, poderão formar letras:

            Forma de A: viagem ou encontro amoroso.

            Forma de T: prudência e é um aviso.

            Forma de H: um bom período sentimental.

            Forma de E: sucesso e êxito.

            Forma de K: obstáculos nas realizações.

            Forma de Y: mudanças favoráveis.

            Forma de L: traição de amigos ou familiares.

            Forma de F: felicidade e fortuna.

            Forma de Z: período de azar.

            Forma de V: vitória sobre os seus inimigos.

            Forma de N: período negativo.

            Forma de M: período positivo.

 

                Guarde religiosamente, os utensílios que usar para esse fim de preferência numa caixa de madeira preta ou saco de tecido da mesma cor. O procedimento de consulta é bastante simples. Você só precisa de um lugar com um ambiente descontraído, tranquilo e confortável. Obterá bons resultados se praticar com a máxima concentração e confiança.

 

PROF. KIBER SITHERC 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 23:15

25
Fev 10

 

            Para muitas civilizações humanas, as tartarugas são consideradas animais sagrados. Na China Tradicional estas crenças persistem nos chineses de hoje em dia. A tartaruga é um animal legendário, tal como a fénix e o dragão, como um mediador entre o mundo dos mitos, dos sonhos e da realidade, sendo as suas quatro patas equipadas aos quatro pontos cardinais.
 
            Para os chineses as tartarugas, parecem participar da natureza do Universo pela sua longevidade, pela sua aptidão para servir de instrumentos de adivinhação e pela própria forma do seu corpo. Pois, grosso modo, a sua carapaça dorsal é redonda como o Céu e a sua carapaça ventral é quadrada como a Terra. As suas quatro patas desempenham pois o papel de pilares entre o céu e a Terra. Talvez devido ao seu simbolismo cósmico, à sua forma de rocha, à dureza da sua carapaça, pela sua natureza anfíbia, pela sábia lentidão do seu caminhar, as tartarugas são consideradas como estabilizadores.
 
            Muitas estelas e inscrições chinesas são postas em cima de peanhas em forma de tartarugas para significarem a sua estabilidade e perenidade. E diz-se também que as ilhas flutuantes onde vivem os imortais foram subjugadas pelas tartarugas. Além disso, para eles, a divina Tartaruga Kwei passou dezoito mil anos a formar o Universo e depois criou uma linha de tartarugas de longa vida para ajudarem a Humanidade e carregarem com os fardos do mundo nos seus dorsos.
 
            Diz também a mitologia chinesa que quando um dos quatro pilares do Universo cai, uma tartaruga substituí-se a esse pilar caído para salvar o mundo. Outras versões dizem que a tartaruga se tornou o Universo, que a sua forma é a mais sublime da Natureza, pois pelo que a sua carapaça é a Natureza espiritual da abóbada celeste e o seu interior tem as estrelas e também as águas sobre as quais a Terra flui. Toda a existência está pois contida numa tartaruga.
 
            A queloniomancia é a adivinhação das carapaças das tartarugas. Os adivinhos chineses serviam-se das tartarugas, da maneira seguinte: inscreviam-se uma questão sobre uma concha de tartaruga, que afloravam em seguida com um tição. Apareciam, então, fendas cujas formas e disposição se interpretavam, a maneira como afectavam ou deformavam a mensagem inicial. As conchas de tartaruga parecem ter estado também na origem das figuras do I-Ching.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
  

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:05

22
Fev 10

 

            A litomancia é a interpretação da forma e da cor das pedras.
            Pratica-se por tiragem à sorte: um grande número de pedras está num vaso; o consultante deve, sem olhar, tirar três, cinco ou sete pedras. O vidente interpreta então os resultados obtidos. Com este fim, existe uma simbólica precisa das cores.
             Por exemplo, uma pedra muito branca, muito lisa, é um excelente presságio; uma pedra muito aguçada, escura e percorrida por veios brancos é sinal de perigo ou de morte, etc. Este método chama-se litomancia.
 
            Uma forma particular da litomancia é a litobolia, ou lançamento de pedras. Neste caso, pega-se, sem contar nem olhar, num certo número de pedras lançam-se e, segundo a sua disposição, o seu número (par ou ímpar que, grosseiramente, significará bom ou mal) e as suas cores, o vidente poderá dar uma resposta à pergunta feita.
 
            A petromancia é um processo baseado nos rochedos. Defuma-se uma rocha e interpreta-se os vestígios que aí se depõem. O fumo habitualmente utilizado para este efeito é o do tabaco.
 
PROF. KIBER SITHERC
 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:39

24
Dez 09

 

            A cafeomancia, mais conhecida pela “adivinhação pelas borras do café”, pensa-se que nasceu nos países árabes. Pois esta mancia é muito difundida nesses países, chegando ao irão, Turquia e sul da Rússia, onde tinha grande prestígio, até mesmo na corte do czar. Posteriormente a cafeomancia foi introduzida na Europa, primeiro na França, no inicio do século XVIII e logo depois em Veneza, de onde saiu para o resto do Ocidente.
           
            A cafeomancia abrange, tanto a leitura das borras de café, como das folhas de chá. Dos desenhos que forma os depósitos que ficam no fundo da chávena do bebedor, tiram-se todas as espécies de conclusões. Admite-se com efeito, que existe um laço entre este resíduo deixado pelo indivíduo e as tendências que o animam. A razão disso reside em que a mão que pegou na chávena imprimiu, ao resíduo, a marca do indivíduo. É uma espécie de assinatura. A interpretação baseia-se num código, que não deve ser estrito, porque a intuição nesse domínio é a palavra-chave.
            Vamos examinar mais particularmente, o estudo das folhas de chá porque a sua leitura é mais precisa. Mas o princípio geral é o mesmo para as borras do café.
 
            Utiliza-se uma vulgar chávena de chá o maior possível e, de preferência, branca. É melhor usar um chá de folhas largas, mais legível que um chá quase em pó. O chá da China serve perfeitamente. O consulente bebe a chávena quase toda, deixando a porção de líquido bastante para poder repartir as folhas. Para isso, roda-se várias vezes, a chávena, concentrando-se no desejo de conhecer o futuro ou uma pergunta precisa. Não é preciso em geral, esperar até ver desenhos de uma clareza absoluta. Contudo, quanto mais nítido aparecer um símbolo, maior é a sua importância. De uma forma habitual convém não se precipitar na interpretação. Concentre-se suficientemente e deixe os significados vir como que por eles mesmos. Se não parece realmente, destacar-se nenhum sentido, convém reconhecê-lo e não insistir. Tradicionalmente, começa a ler-se da esquerda para a direita.
            Se ficarem muitas folhas na chávena, o indivíduo a quem se está a ler o futuro, terá uma vida cheia e variada e, tem uma natureza generosa, com tendência para a emotividade. Uma quantidade invulgar de folhas pode denotar um exagero destas qualidades significando uma vida complexa e desordenada, com uma dose de egoísmo. Uma pequena quantidade de folhas muito dispersam indica, pelo contrário, uma pessoa controlada e lógica, com uma vida metódica e organizada que, num caso extremo, pode tender para a frieza e a meticulosidade.
 
 
            A parte da superfície interior da chávena, onde está aplicada a asa representa a vida pessoal e familiar do indivíduo, por isso, quaisquer formas identificáveis que apareçam nesta parte da chávena, relacionam-se com estas áreas da sua vida. Pode voltar-se a asa da chávena na direcção da pessoa a quem se está a ler o futuro, o que permite estabelecer uma distinção entre o passado e o futuro: as folhas que ficam à esquerda da asa relacionam-se com o passado da pessoa, as que ficam à direita com o seu futuro. Mas pode também estabelecer-se esta distinção dividindo a chávena em zonas horizontais: as folhas que ficam junto à borda referem-se ao presente imediato, as que ficam perto do fundo a um futuro longínquo.
            As folhas que ficam mesmo no fundo da chávena significam azar; os desenhos que formam, especificam as formas desse azar. Se ficarem também uma ou duas gotas de chá no fundo da chávena, simbolizam “lágrimas” e são um presságio de tristeza.
            Quaisquer letras do alfabeto que se possa perceber são as iniciais da pessoa que será significativa para o indivíduo; directa e pessoalmente, se as letras estiverem perto da asa; mais remotamente, se estiverem noutros lugares.
            Três folhas pequenas juntas, significam a entrada de um homem na vida da pessoa; duas folhas pequenas significam uma mulher; um número considerável de folhas muito pequenas, uma criança ou várias crianças.
            Pontinhos significam uma entrada de dinheiro; linhas rectas indicam progresso; círculos significam a realização de uma intenção ou esperança que o indivíduo alimenta nesse momento.
           
            Algumas figuras podem não ser imediatamente identificáveis, mas não se preocupe com isso. Quando tiver alguma prática ser-lhe-á fácil identificar as formas desenhadas pelas folhas, principalmente como acontece em todas as formas de previsão do futuro; dê livre curso à sua imaginação e à sua intuição, mantendo-se atento às associações e às ideias que lhe possam ocorrer espontaneamente. Não se desconsole se não conseguir ver logo de início formas distintas; rode várias vezes a chávena, examine-a de ângulos diferentes, concentre-se primeiro nos pequenos grupos de folhas, até lhe vir a inspiração. Mas mesmo que não consiga ver nenhuma forma distinta, mesmo que o conteúdo da chávena lhe pareça confuso e sem significado, pode ser que isso não aconteça devido à sua falta de percepção: talvez a vida da pessoa a quem está a ler o futuro seja confusa ou mesmo caótica e, as folhas reflectem esse facto. Nesse caso, deve desistir da leitura e esperar pelo menos, sete dias antes de tentar de novo.
 
            Se não gosta de chá e não o tem em casa, pode fazer esta adivinhação com borras de café. Muitas das formas e interpretações de que apresentámos para as folhas de chá, aplicam-se igualmente ao caso das borras de café, sem coar e depois o café devagar para um prato branco, rodando o prato, fazendo com que o café saia fora do prato e espalhando as borras.
            Procure nas borras de café algumas formas especiais: um quadrado significa alegria; um triângulo significa sorte inesperada; um círculo com um ponto ou pontos significa a vinda de uma criança; uma linha ondulada prenuncia uma viagem.
 

 

 

            Vejamos uma lista dos símbolos, nos desenhos que poderá encontrar. Alguns símbolos poderá não encontrar aí. A ajuda de um dicionário dos sonhos resolverá a dificuldade.
 

ANIMAIS: Representa o comportamento – exemplo: Macaco – pessoa curiosa, brincalhona e esperta; Cachorro – pessoa fiel, carinhosa e companheira.
 
OBJETOS: Tipo de acontecimentos – Exemplo: faca, cortes na vida pessoal; Taça grandes comemorações.
 
SÍMBOLOS: Denota sorte ou azar – Exemplo: Estrela grande sorte; Cruz: momentos importantes e decisivos; Lua – mudanças; Sol: realização
 
DEUSES/DEUSAS: Sinaliza as protecções espirituais ligadas ao consulente.
 
ÁGUIA:  Desejo forte, excelente concentração mental. Significa também a necessidade de ampliar conhecimento. Sinal de grande protecção espiritual.
 
ANJOS: Protecção e assistência espiritual para a realização de seus desejos.
 
ANCORA: Sinal de sucesso e segurança nos negócios ou amor.
 
ALIANÇA/ANEL: Símbolo de união e eternidade, casamento ou noivado.
 
AMPULHETA: Avisa para não perder tempo com detalhes e seguir em frente com objectivos. Os acontecimentos dependem do factor Tempo.
 
ARANHA: Cuidado com pessoas próximas. Confusão, período de dificuldade de concentração.
 
ARBUSTO: Dinheiro inesperado, quanto maior o arbusto, mais dinheiro.
 
ARCO: Significa passar de uma condição para outra. Mudanças na maneira de pensar e agir.
 
ÁRVORE: Realizações próximas, prosperidade e saúde.  Fase de reconhecimento e bons amigos.
 
AVIÃO: Viagens. Também pode significar desejo de escapar da rotina e responsabilidades.
 
BARCO: Viagens  a vista. Romantismo, também significa necessidade de isolamento.
 
BARRIL: Tempo de celebrações em família.
 
BIGORNA: Muito trabalho para alcançar seus ideais.
 
BOTA: Denota a presença de um homem, que se interessa pelo consulente. Pode representar o marido ou namorado.
 
BRUXAS: Protecção espiritual. Limpeza energética contra energias negativas. Seus desejos podem se realizar magicamente.
 
BEIJA-FLOR: Grandes emoções a caminho. Um novo Amor. Prazeres sociais.
 
BOCA: Cuidado com o que fala. Tente expressar seus sentimentos com maior clareza.
 
BORBOLETA: Alegrias causadas por pequenas mudanças. Amores, paixões. Alegria nos relacionamentos.
 
BOI: Período de muito trabalho, com compensações após sacrifício.
 
CAIXÃO: Morte, Mudanças.
 
CACHIMBO: Ligado a energia masculina. Sensualidade. Alguém que pensa no consulente. Tempo de para pensar e ouvir.
 
CANGURU: Ligação forte com a família.
 
CAMA: Desejo subconsciente de repouso e silêncio; os sonhos podem ser o seu meio de fugir das preocupações.
 
CARROS: Mudança apara melhor.
 
CÃO: Amigos fiéis: ajuda inesperada. Fidelidade.
 
CASA: União à vista. Novidades no lar ou no trabalho.
 
CASTELO: Uma Herança inesperada; algo muito importante acontecerá.
 
CARTAS: Se forem bem definidas, boas notícias, se mal formadas más notícias; pontos próximos, dinheiro; perto de coração, noticias sobre o lado sentimental.
 
CARTOLA: Ligada ao intelecto. Ideias uso da inteligência. Pode representar pessoa muito importante, que ajudará o consulente.
 
CAVALO: Símbolo de virilidade masculina. Pode representar Homem, mudanças ou viagens.
 
CESTO: Quando aparece com flores ou frutas significa prosperidade e fertilidade; se estiver vazia reduza os gastos.
 
CHALEIRA: Procure harmonizar as relações familiares; uma chaleira  fumegante indica dificuldades e nervosismo.
 
CHAPÉU: Encontro com um homem. Um homem que pensa muito na consulente. Avisos importantes. O Chapéu representa o intelecto.
 
CHAVE: Soluções rápidas, sucesso, aquisições materiais.
 
CÍRCULOS: Reorganize seus objectivos sentimentais. Dinheiro à vista.
 
COBRA: Doenças, Traição, Nervosismo, Negatividade.
 
COGUMELO: Indica ilusão, desejos infundados. Cuidado com o que sente e pensa.
 
COROA: Vitória. Protecção espiritual. Desejos serão realizados. Méritos e reconhecimento público.

CORAÇÃO
: Novo relacionamento. Amor na vida do consulente, alegrias familiares.
 
CORAÇÃO PARTIDO: Tristeza. Fim de relacionamento.
 
CORAÇÃO ALADO – Grande Paixão.
 
CORUJA: Significa avisos, intuição. Pode alertar sobre doença ou morte.
 
CRUZ: Seja solidário com as pessoas. Período requer paciência, as realizações dos desejos. Significa sacrifício, antes da vitória.
 
CRIANÇAS: Alegria, suavidade. Liberdade.
 
DADOS: Sorte. Dinheiro Inesperado.
 
DAMA ANTIGA: Sensualidade. Sexualidade.
 
DRAGÃO: Energia, disposição. Vencerá qualquer situação. Também significa uma Grande Paixão. Sexualidade em alta.
 
EDIFÍCIO – A ambição trazendo mudanças de comportamentos.
 
FACAS: Intrigas, Brigas, problemas com papéis. Cuidado.
 
ELEFANTE: Símbolo de iluminação. Representa família. Grande sorte, saúde e  boas amizades. 
 
ESPADA: Poder espiritual, vitória financeiras e com a justiça. Também pode significar desentendimento e rupturas.
 
ESTRADA: Novos caminhos. Novidades, Surpresas.
 
ESTRELA: Sucesso está em seu ponto culminante. Protecção e sorte.
 
ESTRELA CADENTE: De atenção a assuntos pendentes. Soluções rápidas.
 
FACA: Símbolo desfavorável, cuidado com a saúde, não faça negócios sem orientação. Vulnerável a desentendimento familiares e amorosos.
 
FERRADURA: Sorte favorecida, bons negócios, dinheiro inesperado.
 
FLECHA: Persista em seus objectivos iniciais. Força de Vontade, Acção e Disposição.
 
FLORES: Comemorações – Alegrias – novo relacionamento. Casamento ou Noivado.
 
FOICE/MACHADO: Inimigos no trabalho.
 
FRUTA: símbolo afortunado.
 
GALINHA: Fofocas. Não ligue para mesquinharias.
 
GATO: Símbolo do misticismo e dos mistérios ocultos. Cuidado com pessoas próximas. Use a intuição.
 
GNOMOS: Não leve a vida tão a sério. Brinque, relaxe um pouco.
 
GOLFINHOS: Amor correspondido. Romance.
 
ÍNDIO: Protecção espiritual, pode estar relacionado com a cura em algum sector de sua vida. Limpeza espiritual.
 
INICIAIS: Refere-se a pessoas que conhece ou conhecerá.
 
LÂMPADA/LAMPARINAS: Significa iluminação. Grandes ideias  que o consulente pode ter para resolver questões.
 
LAÇO/CORDA: Bons negócios à vista.
 
LEÃO: Fortaleza, Independência. Poder e Fama.
 
LEQUE: Sociabilidade e sensualidade em alta.  
 
LÍRIOS: Paz de espírito. Período de tranquilidade.
 
LUA: Valorize o que tem. Siga sua intuição. Conexão espiritual, fase de grande força espiritual. Sorte. Símbolo Indicador de honrarias. Indica viagens ou mudanças.
 
MÃO: Calúnias ou brigas iminentes, também pode significar que alguém lhe pedira auxílio.
 
MACHADO: Dificuldades, evite discussões
 
MACACO: Brincadeiras. Cuidado com elogios falsos.
 
MARGARIDA: Amor e Felicidade próxima.
 
MARTELO: Símbolo de perseverança, força. Conclusão.
 
MÁSCARAS: Um aviso para guardar seus pensamentos e sentimentos íntimos. Guarde segredo.
 
MONTES: Reformule seus objectivos – período de dificuldade.
 
MORCEGO: Fase em que deve seguir sua intuição.
 
NÚMEROS: Refere-se a dias/semanas ou meses, pode ter uma relação com um grande acontecimento. Muitos números indicam dinheiro. De qualquer maneira é um símbolo de grande sorte.
 
NUVENS: Seja Prático. Não sonho demais. Dificuldade de concentração e dúvidas.
 
OLHO: Protecção espiritual. Você está sendo observado.
 
OVOS: Chegada de um bebé. Também refere-se a boas notícias.
 
PÁ: Trabalho penoso com recompensas materiais.
 
PÁSSARO/AVE: Alegrias, comunicação. Romance. Leveza de espírito,
 
PATO: Alegrias com amigos e familiares. Felicidade.
 
PAVÃO: Hora de exercer a independência. Cuidado com a vaidade.
 
PEIXE: Medite para elevar-se espiritualmente. Período de muita prosperidade, dinheiro a vista.
 
PENTE: Surpresas que o favorecerão. Alegrias e felicidade duradoura.
 
PÉS: Sucesso através dos esforços. Pode significar arrependimento.
 
PINHEIRO: Saúde.
 
PIRÂMIDE: Muita sorte. Grande potencial de espiritualidade.
 
POMBA: Confirmações que chegarão em breve. Resoluções para dúvidas. Grande Paz.
 
PONTE: Passagem de um estágio para outro, tanto físico como também no sentido espiritual. Pode também significar iniciação. O Consulente livrando-se de lembranças do passado.
 
PUNHAL: Perdas, cuidado com assinaturas de documentos.
 
QUADRADO: Bom momento nos negócios.
 
RAIOS: Seja mais enérgico, consigo mesmo.
 
RAPOSA: Um bom sinal para silenciar. Observe. Você pode estar sendo vigiado.
Cuidado seja cauteloso. Também significa esperteza, inteligência. Alguém se aproxima. Falsidade  nos relacionamentos.
 
REVÓLVER: Cuidado esteja alerta, sinal de imprevistos, acidentes domésticos.
 
ROSTO DE MULHER: Amiga ou parente, pensa em você.
 
ROSTO DE HOMEM: Amigo ou parente, pensa em você.
 
SAPO: Significa limpeza energética. Cura. Também está relacionado com sociabilidade e sorte nos negócios.
 
SAPATO DE MULHER: Sensualidade. Significa mulher importante na vida do consulente.
 
SAPATO DE HOMEM: Significa o parceiro (namorado). Pessoa importante.
 
SOL: Realizações. Boa fase. Sucesso em todos os níveis.
 
TESOURA: Aberta Sucesso, fechada, desfavorável.
 
TAÇA: Comemoração. Vitória em todos os sentidos. Merecimentos  trazidos pela espiritualidade.
 
TOURO: Fortaleza e trabalho duro. Também pode significar hostilidades, observe os desenhos ao lado. Também pode indicar teimosia.
 
URSO: Amigos falsos. Nervosismo, cansaço, cuide da saúde. Período de espera. Ursos graciosos – grandes emoções.
 
 VASO: Boa Sorte, paz de espírito. Siga sua intuição. Revelação de segredos.
 
VELHINHA: Protecção de pessoas mais velhas. Escute os conselhos dos mais sábios.
Sabedoria e protecção.
 
VELA: Acesa é um bom sinal, mas preste mais atenção à espiritualidade. Apagadas notícias tristes.
 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 12:20

09
Nov 09

 

           A adivinhação pelos ovos chama-se ooscopia. A tradição grega conta que foi o próprio Orfeu que inventou esta forma de adivinhação. Na Antiguidade lia-se o futuro a partir da forma exterior do ovo; a cor da casca, o tamanho da gema, etc., e, sobretudo, a extensão do ovo partido e espalhado numa frigideira, algumas vezes, também através de ruídos pelo ovo quando da sua cozedura.
 
            Um método muito antigo consiste em deitar o conteúdo de uma casca dentro de água a ferver. O produto da coagulação é tirado para um prato e interpretado em função das figuras que se distinguem. Outro processo: pega-se em três copos idênticos, cheios de água até meio. Dentro de cada copo coloca-se uma clara de ovo cru, que se deixa assentar durante vinte e quatro horas. Estuda-se em seguida, as imagens que aparecem dentro dos copos.
 
            Os adivinhos da Idade Média, tinham técnicas muito elaboradas. Eis uma de origem bizantina, citada por Henri Weyrier: “Pegue no primeiro ovo de uma galinha preta, posto numa sexta-feira, coloque-o dentro de azeite de manhã até ao meio-dia. Em seguida, tire o ovo e ponha-o num lugar isolado e tranquilo, que esteja bem exposto ao sol. Depois erga o ovo em frente dos raios solares e diga:
            - Conjuro-te, ovo, em nome do verdadeiro Deus, do Deus vivo, do Deus Santo que reina sobre todas as coisas, que me honres e me digas toda a verdade sobre o assunto que quero investigar. Então, pronuncie o assunto que deseja saber imediatamente. Faça isso na época da Lua nova”.
 
            Segundo a tradição, se comer um ovo cozido, do qual previamente substitui a gema por sal. Poderá ver em sonhos o amor da sua vida, com a condição de nada mais ter ingerido nessa noite.
 
            Uma prática mais recente emprega o seguinte método: depois de ter separado a gema da clara, deita-se esta num copo de água e interpreta-se as figuras formadas pelos filamentos.
PROF. KIBER SITHERC
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 19:42

08
Nov 09

 

               Quem nunca lançou uma moedinha numa fonte de água para fazer um pedido?
             Esta tradição teve origem na Grécia e em Roma, onde atiravam pedras e moedas em lagos ou reservatórios de água, para interpretar o futuro através dos círculos formados na água.
            Os povos da antiga Europa, acreditavam que viviam seres superiores nas profundezas das águas, por isso, considerava-se que as águas continham componentes mágicos para curas, bênçãos e sortilégios.
            Foram os antigos Gregos que difundiram que as nascentes e os locais de água eram guardadas por deusas menores chamadas ninfas, os Gregos e os Romanos prestavam culto a essas divindades misteriosas.
            Este sistema de adivinhação é baseado na água. Teve muitos adeptos, todos os velhos textos de ocultismo fazem referência à hidromancia, que foi chamada a “prática por excelência".
            As sacerdotisas dos antigos templos, eram preparadas e ensinadas como usar os poderes mágicos da água. Depois dum banho ritual. Elas escolhiam um local de águas calmas e ali, usando a água como um espelho, eram capazes de visualizar as coisas que iriam acontecer, por vezes a distâncias do local onde se encontravam.
            Quando os antigos Germanos concebiam algumas dúvidas quanto à sua paternidade, amarravam os filhos sobre um escudo que abandonavam ao sabor da corrente. Se o escudo fosse ao fundo, com o bebé, este era considerado um bastardo. Se flutuasse, a esposa era perdoada e a legitimidade do recém-nascido reconhecida.
            Para saber dentro de quanto tempo se produzirá este ou aquele acontecimento é preciso lançar pedras para dentro de um lago ou charco: o número de círculos na água permitirá enumerar os dias, os meses ou os anos. A maneira como as vagas se quebram, ou de onde brota uma fonte, pode igualmente ser significativa.
 
            Os presságios marinhos eram inúmeros. Vejamos alguns exemplos:
            Mar agitado: encontro excepcional, ligação tumultuosa e original.
            Mar calmo: logro sentimental.
            Mar claro ou transparente: felicidade perfeita.
            Mar escuro ou cinzento: situação perigosa, mas forte protecção.
            Mar com espuma: obsessões e fantasmas de perseguição.
            Destroços: sorte inesperada depois de uma passagem difícil.
            Maré alta: grande generosidade, vida afectiva enfadonha, e muito suplicado.
            Maré baixa: Recusa de se deixar implicar nos sentimentos.
            Vaga quebrada: notícia surpreendente respeitante a uma pessoa querida.
            Rolos de vagas: tenacidade terapêutica, sobre um sentimento em declínio.
 
            Havia uma antiga tradição. Uma jovem mergulhava um espelho dentro de água de uma fonte, veria aí os traços do futuro esposo. Sistema esse que, originava a frustração de muitas jovens solteiras.
            A forma mais conhecida da hidromancia, consiste em colocar água em vasos com inscrições sagradas, e observar as cenas do futuro revelada na água. Esta técnica de adivinhação é muito antiga e deu origem às previsões feitas em bola de cristal.
 
            Com o tempo, foi aparecendo práticas da hidromancia mais rebuscadas e adaptadas a determinadas épocas. Vejamos este exemplo:
            Compre um alguidar vidrado no seu interior, com um diâmetro de 50 até 90 centímetros.
            Num dia de chuva, aproveite a água para encher o alguidar. Coloque o alguidar ao relento de forma que a Lua Cheia ilumine o seu interior. Acenda três velas em redor do alguidar em forma de triângulo. Então, sente-se comodamente frente ao recipiente sem cruzar as pernas.
            Deite um punhado de sal grosso para água e, com a máxima concentração, faça mentalmente a pergunta, enquanto contempla a água onde está a ver os reflexos da Lua Cheia. Da mesma forma relaxada, observe as emoções e símbolos que o invadem ou figuras que se formam frente aos seus olhos, ajudado pelos reflexos na água.
            Ao princípio poderá ter alguma dificuldade, mas não convém desanimar. A prática desenvolve o talento e a intuição.
            Um livro sobre a interpretação dos sonhos poderá ajudá-lo, na sua interpretação.
             PROF. KIBER SITHERC
 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 00:29


contador

contador
pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO