Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

05
Jan 11

 

            São Malaquias nasceu em Armagh, Irlanda em 1094, segundo São Bernardo. Foi baptizado como Maelmhaedhoc, e seu nome “latinizado” é conhecido como Malaquias. Tornou-se sacerdote por Al Morir San Celsus em 1119.

 

            Depois de sua ordenação, continuou seus estudos de liturgia e teologia em Lismore, San Malchus. Em 1124 foi consagrado bispo de Condor.

 

            Com a morte de San Cellus, São Malaquias foi nomeado Arcebispo de Armagh em 1132, por sua grande humildade e dedicação.

 

            As intrigas não o permitiram assumir o cargo por dois anos. Em três anos restaurou a disciplina eclesiástica em Armagh. Segundo São Bernardo, São Malaquias tinha um dom para a religião.

 

            Em 1139 viajou para Roma e no caminho visitou São Bernardo em Clairvaux. Lá começou seu legado com a Irlanda. Ao regressar via Clairvaux, juntou cinco monges para fundar na Irlanda a grande abadia de Mellifont em 1142.

 

            Em uma segunda viajem a Roma, São Malaquias chegou doente a Clairvaux e morreu nos braços de São Bernardo em 2 de Novembro.

 

            Muitos milagres foram atribuídos a São Malaquias, mas ele também era conhecido pelo seu dom de visões de profecias.

 

            Foi canonizado pelo papa Clemente III em 6 de Julho de 1199. A Sua festa é celebrada em 3 de Novembro.

 

            Segundo São Bernardo, São Malaquias anunciou o dia exacto de sua morte (dois de Novembro) estando com ele na abadia de Clairvaux.

 

            Anunciou que a Irlanda, sua pátria, será oprimida e perseguida pela Inglaterra, trazendo desgraças por sete séculos, que preservaria a fidelidade a Deus e a sua Igreja em meio a todos os problemas. No fim desse período a Irlanda seria libertada e seus opressores castigados e será instrumento fundamental para trazer a fé de volta a Inglaterra. Essa profecia foi copiada por Dom Mabillon de um antigo manuscrito de Clairvaux e transmitida pelo sucessor de Oliver Plunkett.

 

            A mais famosa das profecias atribuídas a São Malaquias é sobre os Papas. Ela é composta de “lemas” para cada um dos 112 papas, desde Celestino II, eleito em 1130, até o fim do mundo.

 

            Esses “lemas” descritivos dos papas podem se referir a um símbolo de seu país de origem, a seu nome, seu escudo e armas, a seu talento ou a qualquer outra coisa referente ao Papa. Por exemplo, o lema de Urbano VIII é “Lilium et Rosa”; A era de Florença, Itália, cujo escudo tem uma flor-de-lis.

 

            Foi muito discutido se São Malaquias é o verdadeiro autor das profecias. Alguns historiadores acreditam que o manuscrito original foi escrito até o século XVI. Se São Malaquias é o autor das profecias, essas ficaram desaparecidas por mais de 400 anos.

 

            No século XVII, o Padre Menestrier, jesuíta, presenciou um a hipótese de profecia ser um plágio para influenciar as eleições de Gregório XIV no conclave de 1590. O lema que corresponde a este papa na profecia é “antiquitate urbis”, que faz uma alusão a sua cidade natal e sede episcopal, Orvieto (Latin: Urbs vetus).

 

            Não existem provas para os acusadores de fraude. Porém, um dos mais respeitados historiadores do século XVI, Onófrio Panvinio, corregedor e revisor da Biblioteca do Vaticano em 1556, parece aceitar completamente a autenticidade da profecia de Malaquias.

 

            Em 1139 ele escreveu uma lista que profetizava todos os 112 papas que assumiriam o comando da Igreja Católica, após o pontificado de Celestino II, encerrado em 1143. A curiosidade é que os três últimos pontífices coincidiram com as características das premonições descritas por Malaquias. E mais: o novo Papa, o penúltimo segundo a profecia, seria chamado Bento XVI.

 

            O atribuído ao falecido Papa João Paulo II, o de número 110, é “De Laboris Solis” (Do trabalho do sol), interpretado como aquele que vem do leste ou como o papa de um grande e prolongado trabalho.

 

            João Paulo I, morto em 1978 após um mês de pontificado, tem como lema “De Medietate Lunae” (Da Meia-lua), que tem relação com seu nome original Albino Luciani, que significa luz branca. Além disso, eventos importantes na vida do Papa ocorreram em noites de meia-lua. Outras profecias teriam coincidido com os demais papas.

 

            O Papa após João Paulo II foi denominado como “Gloria olivae” ou “Glória das oliveiras”. O lema remete à ordem fundada por São Bento, que tem como símbolo a oliveira. Uma das hipóteses do texto indica que Bento XVI terá seu pontificado comparado ao de Bento XV caracterizado como o Papa da paz.

 

            Mas, segundo a profecia, assim como Bento XV teria falhado por não conseguir evitar a primeira guerra mundial, o novo Papa não conseguirá conter a terceira grande guerra. Esta seria travada pelas nações árabes, que atacariam a região onde hoje fica os Estados Unidos, depois a Europa e por fim o continente africano. Entre os anos de 2009 e 2010 ou um pouco mais, seu pontificado seria encerrado com sua morte, durante a guerra.

 

            O pontificado de seu sucessor, Petrus Romanus – Pedro, o Romano – cujo nome remete ao primeiro bispo de Roma, o apóstolo Pedro, terminará com o Juízo Final.

            A “Profecia dos Papas” só foi publicada em 1595, na cidade de Veneza, pelo monge Arnold de Wion. Os textos foram divulgados pela Europa e, ao longo dos séculos, vêm sendo objecto de estudo. Os textos estão hoje no Museu do Vaticano. Monge Beneditino, São Malaquias foi canonizado em 1190 pelo Papa Clemente III. Um dos milagres atribuídos a ele seria o de um rapaz que curou o seu braço paralisado ao colocar a sua mão sobre a do cadáver do santo.

 

            Apesar dos autores de profecias serem ameaçados pela Igreja Católica de excomunhão, as profecias de Malaquias não foram oficialmente condenadas. Algumas piadas, inclusive, seriam usadas na hora dos conclaves, até por cardeais, para tentar adivinhar o nome do futuro Papa.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 19:26
tags:

29
Jun 10

            Michel de Nostradame (1503-1566), que latinizou o seu nome para Nostradamus, Foi um médico francês e vidente que publicou as suas colecções de profecias que desde então se tornaram mundialmente famosas. Ele é mais conhecido pelo seu livro “As Centúrias”, a primeira edição, que apareceu em 1555. Nostradamus tem atraído um público que, juntamente com a imprensa popular, deu crédito a ele com previsão de muitos grandes eventos mundiais

 

            A maioria das fontes académicas alegam que as associações feitas entre os eventos mundiais e de Nostradamus quadras são em grande parte o resultado de interpretações equivocadas ou erros de tradução (às vezes deliberada) ou então são tão ténue a torná-las inúteis como evidência de um verdadeiro poder de previsão. Além disso, nenhuma das fontes listadas oferece qualquer evidência de que alguém já tenha interpretado qualquer quadra de Nostradamus, especificamente o suficiente para permitir uma identificação clara de todo o evento com antecedência.

 

            Uma das profecias muito controvérsias é a sua aplicação a Adolf Hitler.

 

A liberdade não será recuperada.

O negrito, o homem, negro e orgulhoso perverso ocupar.

Quando o material da ponte for concluída,

A República de Veneza será incomodada por Hister.

 

            A palavra Hister, de acordo com as leis do anagrama (letras adaptados nome, muito popular no tempo de Nostradamus), É na verdade Hitler, com uma letra alterada. Hister também é um nome antigo do Danúbio, e é em última análise, uma referência à histeria, característica famosa do homem negro e ousado, que ocuparia o poder alemão. O objectivo triplo da palavra Hister é facilmente explicado, já que a 21 Fevereiro de 1941, o New York Herald Tribune "publicou: De Sófia, na Bulgária, informa-nos da ponte sobre o Danúbio nazista.

 

            Um mês após a ponte foi concluída, as forças de Hitler infiltrada Itália.

 

            Veja aqui algumas profecias que se concretizaram e que devem ser estudadas nesses momentos turbulentos de ataques e atentados. Nostradamus previu desde o nascimento e morte de Hitler até a criação do Nazismo e dos campos de concentração.

 

            Nascimento de Hitler

III, 35

Da região mais a leste da Europa ocidental,

uma criança nascerá de pais pobres.

Ela seduzirá grandes multidões e fará muito barulho

no caminho do poder em direção ao leste

 

            Hitler poderia ter sido detido na juventude

I, 36

Tarde demais o monarca se verá arrependido

De não haver matado seu adversário

Mas virá bem mais alto consentir

Que todo seu sangue por morte fará abrir

 

            O Terceiro Reich e os campos de concentração

IX, 17

O terceiro primeiramente faz pior do que Nero

Vai, faz derramar o valente sangue humano

A fornalha será reconstruída, um século de ouro

Então a morte, um novo rei e grande escândalo

 

            A tentativa de Hitler de invadir a Rússia

IX, 99

Vento Aquilão fará partir a sede

Por muros lançar cinzas, cal e poeira

Por chuva após que se mostrará ardil

Último socorro combate em sua fronteira

 

            Os campos de concentração (Hitler estava longe deles).A morde dos Judeus e as facções alemãs que tentavam destruí-lo.

IX, 53

Em três chaminés o jovem Nero

Fará com que se atirem as páginas vivas para queimar

Está feliz por quem esteja longe de tais acontecimentos

Três de sua família o emboscarão para a morte

 

            O suicídio de Hitler

"Mãos devoradas"- a perda do seu poder

A condenação pelo seu povo por impor uma ditadura

III, 36

Enterrado, com lesão cerebral mas não morto

Será encontrado com as mãos devoradas

Quando a cidade condenar o herege

Que julgaram ter mudado suas leis

 

Centúria 2, Quadra 24

Hitler e Mussolini, em 1945

 

Original em francês moderno:

 

Bêtes farouches de faim fleuves tranner;

Plus part du champ encontre Hister sera,

En cage de fer le grand fera treisner,

Quand rien enfant de Germain observera.

 

Tradução para o português:

 

Bestas ferozes e famintos rios atravessam

A maior parte da região será contra Hister

O grande fará arrastar em gaiola de ferro

Quando nenhum filho da Alemanha notará

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 20:20
tags:

21
Abr 10

 

            Nicolau de Flüe, ou Bruder Klaus (irmão Klaus), como é conhecido em sua pátria, nasceu em Sachseln, no cantão de Unterwald, na Suíça, em 1417.

 

            Os biógrafos não são concordes quanto à sua origem: “De uma família de bons e piedosos pastores”, e outros dizem: “De uma das mais nobres e antigas famílias do país”. O que prevalece é que ele pertencia a uma abastada família, muito influente no povoado natal.

 

            Seja como for, seus biógrafos afirmam que Nicolau era um “jovem casto, bom, virtuoso, piedoso e sincero, dado à oração, mortificado, e que cumpria conscienciosamente seus deveres”.

 

            Diz um seu biógrafo: “Nicolau deixou de ser criança tão cedo, que parecia ter-se antecipado nele a piedade à razão, assim como a razão à idade. Notou-se desde logo nele um juízo tão maduro, um entendimento tão claro e uma prudência tão superior a seus anos, que se creu que havia alcançado o uso da razão antes de sair do berço, contra as regras ordinárias da natureza”.

            Outra nota dominante nesse privilegiado santo é a constância no humor, bondade de coração e suavidade de trato, que atraíam todos seus concidadãos.

 

                Uma arma numa das mãos e o terço na outra

             Durante os últimos 20 anos de sua vida, ele não comeu nem bebeu, mas viveu só da Sagrada Eucaristia! 

            Em 1446, aos 29 anos, Nicolau foi defender o seu cantão na batalha de Ragaz. Participou de outras campanhas, inclusive a de 1460, chamada guerra de Thurgau. Demonstrou tanta bravura nessa guerra, que recebeu uma medalha de ouro. Por sua influência, salvou do furor dos confederados o convento dominicano de Santa Catarina, onde os austríacos se haviam refugiado. “Irmãos, disse-lhes, não mancheis com a crueldade a vitória que Deus nos deu”.

 

            Na guerra Nicolau levava a espada numa das mãos e o terço na outra. Mostrou-se sempre um guerreiro corajoso e um cristão misericordioso.

 

                Modelar família de dez filhos

            Para obedecer aos pais, casou-se com uma conterrânea virtuosa, Dorotéia Wyss. Tiveram dez filhos, cinco homens e cinco mulheres. Nicolau dedicou-se inteiramente à educação da numerosa prole, tanto religiosa quanto civil. Dois de seus filhos chegaram a ser sucessivamente governadores do cantão, desincumbindo-se do cargo com honra e eficiência. Um terceiro, que ele fez estudar em Bâle e Paris, tornou-se piedoso sacerdote, doutor em teologia.

 

            Em sua vida matrimonial, Nicolau não só não arrefeceu na prática da virtude, mas cresceu ainda em devoção. Para satisfazê-la, segundo seu filho João de Flüe, “meu pai ia sempre se deitar na mesma hora que seus filhos e domésticos; mas todas as noites eu o via levantar-se de novo e rezar em seu quarto até a manhã”. Muitas vezes ele ia também, no silêncio da noite, rezar na vizinha igreja de São Nicolau ou caminhar pelos   bosques circunvizinhos. Essas caminhadas nocturnas, em que ele se sentia mais perto de Deus, eram para ele as melhores horas.

 

            Nicolau tinha uma profunda devoção à Virgem, terna e inflamada, e não havia conversa em que ele não entremeasse frases sobre as excelências, o poder e a bondade dessa terníssima Mãe. Ele fazia periodicamente peregrinações aos seus inúmeros santuários.

            Mesmo trabalhando no campo, o santo não deixava o seu rosário, que aproveitava para rezar em qualquer tempo livre.

  

                A dedicação total a Deus

             Nicolau apareceu diante dos parentes e amigos descalço, com longa túnica de peregrino, pedindo perdão por alguma falta involuntária. 

            O amor às coisas celestes e algumas visões que teve fizeram reavivar em Nicolau o desejo de se dedicar exclusivamente a Deus. Estava chegando aos 50 anos, os filhos estavam praticamente criados, e não havia mais tempo a perder. Procurou a sua virtuosa esposa e explicou-lhe a vocação que Deus tão prementemente lhe dava, suplicando-lhe liberdade para segui-la. Estavam casados havia 20 anos, tinham numerosa prole com alguns filhos ainda pequenos. Mas a heróica mulher, conhecendo bem o seu marido e sabendo que não se tratava de um fervor passageiro ou fantasia, com uma resignação tranquila consentiu, prometendo terminar de educar os filhos no temor e amor de Deus.

 

            Com excepção da abnegada Dorotéia, todos os parentes foram contra essa ideia que lhes pareceu disparatada, inclusive os dois filhos mais velhos, se bem que só momentaneamente.

 

            No dia 16 de Outubro de 1467, tendo posto em ordem os seus negócios e dividido os seus bens, Nicolau apareceu diante dos parentes e amigos descalço, com longa túnica de peregrino, bastão numa das mãos e o terço na outra. Agradeceu o bem deles recebidos e pediu perdão por alguma falta involuntária. Exortou a todos a temerem a Deus e a jamais esquecerem seus mandamentos. Depois, dando a bênção a todos, partiu, com o coração dilacerado pela afeição ao que deixava.

 

             Por 20 anos, seu único alimento foi a Eucaristia

            Nicolau pensou em ir para outro país para estar mais longe daquilo que amava. Mas depois, por uma inspiração do alto, voltou para uma sua propriedade, onde construiu uma pequena cabana para nela viver entregue à oração e à contemplação. Seu irmão Pedro foi procurá-lo, resolvido a levá-lo de volta para casa, alegando que poderia morrer de frio ou fome, isolado no terrível inverno suíço. Nicolau respondeu-lhe: “Saiba, meu irmão, que não morrerei de fome, pois já fazem onze dias que não como e não sinto necessidade de alimento. Tampouco morrerei de frio, pois Deus me sustém”.

 

            E aqui está o mais impressionante milagre da vida de São Nicolau de Flüe, raro mesmo nos anais da santidade: durante os últimos 20 anos de sua vida, ele não comeu nem bebeu, mas viveu só da Sagrada Eucaristia!

 

            Mas ele não fez isso sem aconselhamento, para não tentar a Deus. Um venerável sacerdote, o Padre Osvaldo Isner, pároco de Kerns, deixou este relato no livro de sua paróquia, em 1488: “Quando Nicolau começou a se abster de alimentos naturais, e havia assim passado onze dias, mandou procurar-me e me perguntou secretamente se devia tomar algum alimento [...]. Em seus membros não restava senão pouca carne, pois tudo estava dissecado até a pele. Quando vi e compreendi que isso não podia provir senão da boa fonte do amor divino, aconselhei ao irmão Nicolau que persistisse na prova tão longamente quanto lhe fosse possível suportar sem perigo de morte [...]. Foi o que fez: desde esse momento até sua morte — quer dizer, por volta de vinte anos e meio — continuou a se abster de qualquer alimento corporal [...]. Ele me confessou que, quando assistia à Missa e o padre comungava, recebia uma força que lhe permitia permanecer sem comer e sem beber, pois de outro modo não poderia resistir” “Se durante 20 anos — diz o Papa Pio XII — ele se alimentou unicamente do pão dos anjos, este carisma foi o complemento e a paga duma longa vida de domínio de si mesmo e de mortificação por amor de Cristo”

  

  

                Grandes conversões seguidas de maravilhas

            A cela do santo em Ranft, à qual foi anexa uma capela, conservada com rendas dos arquiduques 

            Quando começou a divulgar-se esse facto prodigioso, uma multidão crescente passou a acorrer de todos os cantos para ver o homem a quem Deus dava tal graça. Os magistrados da cidade enviaram guardas, que ocuparam durante um mês, dia e noite, as redondezas da cabana do irmão Nicolau e comprovaram que o piedoso eremita não tomava mesmo outro alimento que a Sagrada Eucaristia.

 

            O bispo de Ascalão foi à própria cela de Nicolau, obrigando-o, em virtude da obediência, que comesse o alimento e tomasse o vinho que havia levado. Tentou fazê-lo, mas imediatamente começou a sentir tão violentas dores de estômago, que se temeu por sua vida. E não se insistiu mais sobre isso.

 

            Continuando a crescer o número de peregrinos que vinham ver o irmão Nicolau, seus concidadãos lhe edificaram uma cela de pedra, com uma capela anexa, à qual a piedade dos arquiduques da Áustria assinalou as rendas necessárias para sua conservação e manutenção, com um capelão para a servir. Assim Nicolau pôde assistir diariamente ao Santo Sacrifício sem sair de sua cela.

 

            Aumentando ainda o afluxo dos fiéis, o irmão Nicolau, para lhes fazer algum bem, começou a fazer-lhes uma prática espiritual. Com isso reformaram-se os costumes, houve grandes conversões seguidas de muitas maravilhas. Ele tinha o dom dos milagres e da profecia.

 

            “Retirar-se do mundo não marcou todavia, para São Nicolau, o fim duma obra histórico-política. Foi antes um princípio de mais pronunciada fase. Nicolau fora juiz e conselheiro do seu cantão. Fora também deputado na Dieta federal de 1462 e recusara o cargo de chefe de Estado. O seu influxo nos assuntos federais mostra-se já evidente no tratado de paz perpétua com a Áustria em 1473. Evitando a guerra civil, fez renascer a unidade da Suíça, o que lhe valeu o título de ‘Pai da Pátria’. Em 1481, quando Unterwald estava decidido a separar-se de Lucerna e de Zurique, o que poria fim à existência da Confederação, um emissário da Assembleia, que se dispunha a homologar a ruptura, correu a trazer a notícia ao ermitão de Ranft. Nicolau passou a noite a redigir um projecto de constituição que, no dia seguinte, foi aprovado por unanimidade pela mesma Assembleia, o que restabeleceu para sempre a unidade e a paz”.

 

            Uma das mais terríveis profecias feitas por São Nicolau foi a respeito da Reforma Protestante, que haveria de dividir também o seu país. Predisse que, após a sua morte, “vão chegar infelizes tempos de revolta e de dissensões na Igreja. Ó meus filhos — disse ele com lágrimas nos olhos — não vos deixeis seduzir por nenhuma inovação! Uni-vos e mantende-vos firmes. Permanecei na mesma via, nos mesmos caminhos que nossos piedosos ancestrais, conservai e mantende o que nos foi ensinado. É assim que resistireis aos ataques, aos furacões, às tempestades que se elevarão com tanta violência”.

 

            São Nicolau de Flüe faleceu no dia 21 de Março de 1487, sendo canonizado por Pio XII em Maio de 1947.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:27
tags:

20
Abr 10

 

            Em 1979, Scallion trabalhava em electrónica como consultor. Quando conversava com um cliente, sem motivo, perdeu a voz. Foi internado num hospital e posteriormente, quando descansava em sua casa, viu uma luz que se aproximava e formou uma imagem de um rosto de uma mulher que pediu que ele escrevesse tudo o que ela lhe diria.

 

            A mulher revelou-lhe acontecimentos dos próximos meses e sobre a sua vida futura. Predisse acidentes aéreos, mudanças do clima e alertou para o aumento de terramotos. Também disse que em 1980 começariam as mudanças drásticas na Terra. Mudanças essas que começariam com terramotos, erupções vulcânicas e maremotos. Nos anos 90 esses fenómenos se repetiram em todo o planeta aumentando a frequência e intensidade a cada ano.

 

            Imediatamente após o encontro da mulher, Scallion recuperou a voz e surgiu um nova capacidade, começou a ver a aura das pessoas. Procurou esquecer esta experiência profundamente evolutivamente, mas as visões não acabaram. Descobriu também que tinha o poder de curar a pessoas e começou uma nova fase da sua vida.

 

            Por muitos anos foi chamado para fazer leitura e curas e se transformou em fonte de informação sobre o passado e o futuro. Em 1989 teve uma série de sonhos em que aconteceram em 29 noites consecutivas e que lhe deram como chaves sobre as mudanças importantes que ocorreriam no planeta.

 

            Scallion acertadamente previu:

            O terramoto do México de 1984

            A eleição de Bush em 85

            A queda da Bolsa em 87

            Vários terramotos menores na Califórnia

            A actividade vulcânica no Japão.

 

            As previsões de Scallion têm tido destaque na Fox Television, em temas: mistérios por resolver, Discovery Channel, The Learning Channel, Art Bell, Coast to Coast, bem como publicações impressas e online em todo o mundo.

 

            Aqui está um resumo de algumas das previsões de 2003:

            Os Estados Unidos perderá 1 / 3 de sua massa da terra, apesar de uma quantidade igual de novas terras irá subir. Um flare poderoso no próximo ano irá causar um apagão global. Yellowstone está a aquecer, e não haverá quebra na terra em que a área em questão de meses. A divulgação ET está a avançar, e dentro dos próximos dois anos haverá a confirmação. O próximo ataque terrorista nos E.U. será electrónico "na natureza e pode afectar bancos e computadores. Scallion também compartilhou algumas de suas visões o tempo de viagem, como testemunhar a construção da Grande Pirâmide do Egipto. As enormes pedras, disse ele, foram cortados com laser por um processo de Atlantes e levantou do chão através de um método sónico.

 

            Mudando para situações mais científicas, Gordon-Michael Scallion prevê que entre 1998 e 2012 (2006 está mais ou menos no meio) acontecerão catástrofes naturais de dimensões enormes, tais como: aquecimento global, liquidificação dos pólos, terramotos, erupções vulcânicas, etc.

  


            O Tsunami, as secas, as enchentes, as mudanças drásticas de clima, a qualidade do ar, a desflorestação, etc., são catástrofes bem recentes, e a tendência é mesmo piorar.

 

            Em suas previsões iniciais indicaram que a fractura primeira grande iria ocorrer antes de Maio de 1993.

            O segundo irá ocorrer antes de 1998 e será executado a partir de Newport, Oregon para Nevada.

            A terceira grande fractura tectónica irá ocorrer durante um período de meses até três anos depois.

            Desta vez, grandes porções de Utah, Nevada, Arizona e Colorado serão engolidas pelo mar. Phoenix irá emergir como uma grande cidade portuária.

 

            Enquanto essas mudanças ocorrem no lado oeste, leste também haverá mudanças: grandes porções de Nova York será inundada, Manhattan aproximadamente perderá 50% de suas terras, Rhode Island será quase negro, como mais da metade do Connecticut. Long Island irá desaparecer e 50% da Florida. Assim como a terra vai desaparecer no oceano, nova terra - lotes de Atlantis - aparecer na costa leste da América do Norte, perto da Florida. Ruínas da Atlântica serão descobertas nos Açores, nas Bahamas, no Golfo do México e do Mar dos Sargaços.

 

Vista da Terra após o cataclismo, profetizado por Scallion:

 

            Canadá: Hudson Bay e Bacia de Foxe irão expandir-se para formar um longo mar interior. Partes do território serão empurradas até 200 milhas para o interior. As áreas de Quebec, Ontário, Manitoba, Saskatchewan e Alberto serão o foco da sobrevivência em primeiro lugar. Haverá migração do Alasca e Colúmbia Britânica.

 

            Estados Unidos: grandes mudanças ocorrerão com as mudanças das placas tectónicas a 150 ilhas na Califórnia. Os grandes lagos e no mar de Lawrence e será acompanhado pelo rio Mississipi no Golfo do México.

            A zona costeira do Maine até a Flórida será inundada e conduzido milhas.

 

            México: áreas costeiras do México estão inundadas. Baja Califórnia se tornará uma série de ilhas. A maior parte da península de Yucatan será perdida no mar. Sísmicos e actividade vulcânica continuarão até o século XXI.

 

            América Central e no Caribe e América Central será inundada será reduzida a uma série de ilhas. Elevações acima de 500 metros são consideradas seguras. Um novo fluxo de água da baía de Honduras para Salinas, no Equador. O Canal do Panamá será intransponível.

 

  

            América do Sul:

            Grandes mudanças ocorrem, incluindo terramotos e actividade vulcânica. A terra será sacudida como um cobertor feito por ambas as extremidades. Venezuela, Colômbia e Brasil vão sofrer graves inundações. A área da Amazónia vai se tornar um mar interior, e o Peru e a Bolívia serão inundadas.

 

            El Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e partes de Urguay  e as Ilhas Falkland. Outra grande língua do mar cobrir grande parte do centro da Argentina. Uma nova massa de terra surgirão e serão combinadas com as terras do Chile.

 

            Europa:

            Europa sofrerá as mudanças mais rápidas e graves. A maior parte da Europa estará sob o mar. Noruega, Suécia, Finlândia e Dinamarca serão inundadas, deixando centenas de ilhas pequenas. A maior parte do Reino Unido, da Escócia para o canal vai afundar, deixando as ilhas do tamanho que é hoje a ilha Shetland. Londres e Birmingham permanecerão. Irlanda desaparecerá, com excepção de seus mais altos montes.

 

            A Rússia vai ser separada da Europa por um novo mar, formada pelo Mar Negro, Báltico, Cáspio e Kara. O mar de novo, separados por montanhas de Ural, Jenisej vir para o rio, na Sibéria. O clima se tornará mais temperadas, permitindo a Rússia para fornecer alimentos para a maioria da Europa. O Mar Negro se unirá ao mar do Norte, deixando a Bulgária e a Roménia, sob o mar.

 

            A maior parte da França entrará em colapso, deixando uma ilha na região de Paris. Um novo rio separará a Suíça da França, ao longo de uma linha de Génova para Zurique. A Itália vai ser dividida pelo mar. Veneza, Nápoles, Roma e Génova, serão inundadas, mas o Vaticano será guardado para ser transferido para terrenos mais elevados. Terra Nova emerge da Sicília à Sardenha.

 

            Ásia:

            O círculo de fogo que atravessa a Ásia torna uma zona sísmica, e, consequentemente, a mais grave e as mudanças ocorrerão activas nesta região.

 

            A terra será inundada das Filipinas no Japão e no Mar de Bering, incluindo as ilhas Curilas e Sacalina. A placa do Pacífico mudará a sua posição em 9 °, as ilhas do Japão irão afundar, deixando apenas as pequenas ilhas. Taiwan e a Coreia serão peredidas na região costeira da China serão empurradas por centenas de quilómetros no interior.

 

            Indonésia vai separar-se, e ainda algumas novas ilhas, que aparecerão nesta área. Filipinas desaparecerão. Ásia vai perder uma grande quantidade de massa terrestre, e uma nova terra aparecerá.

 

MGSFutureMap-Africa.jpg image by eddo_2001 

            África:

            A África será dividida em 3 partes. O Nilo vai crescer e expandir-se significativamente. Um novo fluxo de água separará os países do Mar Mediterrâneo, a Gabon. O mar vermelho vai se expandir, criando um movimento com as áreas de Darfur. Os novos fluxos serão vistos como um "Y", com a linha vertical que se estende para sul, até Cabo Town.

 

            No Egipto, Giza vai afundar, mas antes que isso aconteça, haverá surpreendentes descobertas arqueológicas. À medida que se expande o Mar Vermelho, Cairo será perdido no mar, e também Madagáscar. Terra Nova vai emergir no Mar da Arábia.

 

PROF. KIBER SITHERC

Gordon Michael Scallion: O profeta moderno

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 17:47
tags:


contador

contador
pesquisar
 
mais sobre mim
blogs SAPO