Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

03
Dez 09

 

             Giovanni Pico della Mirandola (1463-1494) – Pico, conde de Mirandola, nasceu no castelo de Mirandola, perto de Modena. A sua precocidade foi considerada como um prodígio, comparável à do pintor Masaccio, que morreu com vinte e quatro anos, após haver dado um decisivo impulso às artes plásticas. Com 24 anos, Pico foi para Roma, onde afixou as suas novecentas teses para debate público. Muitas delas diziam respeito à magia e à cabala. Ainda que estes sistemas ocultos servissem para provar a divindade de Cristo, o plano de Pico não conquistou a aprovação da igreja.
            O papa Inocêncio VIII, cuja vigorosa atitude em relação às questões de feitiçaria, que sempre investigou, nomeou uma comissão para examinar na totalidade as teorias de Pico. O veredicto foi-lhe desfavorável: quatro teses foram consideradas como ousadas e heréticas; seis foram também condenadas, embora com menor severidade; três foram apodadas de falsas, heréticas e erróneas.
            Na sua obra, Pico defende a predição do futuro por meio de sonhos, sibilas espíritos, presságios e ainda por meio de aves e dos intestinos. Os dois últimos métodos, irremediavelmente pagãos, não podiam certamente ser tolerados pelos teólogos romanos. O seu pendor para os oráculos caldeus, hinos órficos e outros domínios afins era igualmente repudiado por aqueles teólogos. Algumas das suas teses têm um certo gosto neoplatónico: como Proclo, ele fala dos deuses menores.
            Com a condenação de Roma, mal haviam começado ainda os trabalhos do Pico. Em 1487, publicou uma justificação, na qual defendeu as treze teses rejeitadas e acusou os juízos de heréticos, dando a entender ainda, no prefácio, que eram incapazes de se exprimir em bom latim. Uma bula papal proibiu a impressão das teses, mas Pico fugiu para França, onde acabou por ser preso pelos mensageiros romanos e encarcerado em Vincennes. Graças à intervenção de Lourenço de Médicis e outras influências, foi autorizado a regressar a Florença. O papa Inocêncio III, porém, conservou-se mudo e hostil e foi somente de Alexandre VI que Pico conseguiu o perdão e a protecção da Inquisição, um ano antes da sua morte, ocorrida em 1494, quando tinha trinta e um anos.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 21:29
tags:

 62-4.gif Bruxas image by bethreis 

  

Abacomancia - Método de adivinhação Através de um ábaco.

Actinomancia - Método de adivinhação Através das irradiações das estrelas.

Acutomancia - Método de adivinhação Através das formas ou desenhos de agulhas ou alfinetes atirados sobre água.)

Aeromancia - Método de adivinhação das Através dos ventos e nuvens.

Agalmatomancia - Método de adivinhação Através da inspiração divina mediante a estátuas de deuses.

Agromancia - Método de adivinhação Através dos aspectos de um campo.

Ailuromancia - Método de adivinhação Através de outros gatos e felinos.

Alectoromancia - Método de adivinhação Através movimento das aves ao Recolher grãos ou pedras dispostos em um círculo contendo alfabeto.)

Aleuromancia - Método de adivinhação Através dos biscoitos da sorte.

Alfitomancia - Método de adivinhação Através de invocações obscuras e ingestões de determinadas massas Geralmente podres.

Alomancia - Através Método de adivinhação do sal. (Outro nome seria Halomancia.)

Amniomancia - Método de adivinhação Através da membrana que envolvem o bebé durante o nascimento.

Antracomancia - Método de adivinhação Através de carvão incandescente.

Antropomancia - Através Método de adivinhação do coração de pessoas sacrificada.

Apantomancia - Método de adivinhação Através de encontros inesperados com animais.

Aquileomancia - Método de adivinhação Através de varetas de Aquilegia.

Aracnomancia - Método de adivinhação Através da teia de aranha.

Aritmancia - Método de adivinhação ATRAVES DOS NUMEROS Correspondentes as letras do alfabeto. Uma forma antiga de Numerologia.

Aritmomancia - Método de adivinhação ATRAVES DOS NUMEROS Correspondentes as letras do alfabeto. Uma forma antiga de Numerologia.

Armomancia - Método de adivinhação Através da inspecção de omoplatas.

Astragalomancia - Método de adivinhação Através de fósforos ou dados lançados ao ar.

Astragiromancia - Método de adivinhação Através de fósforos ou dados lançados ao ar.

Astromancia - Método de adivinhação Através dos astros.

Aspidomancia - Método de adivinhação Através de um demónio.

Austromancia - Método de adivinhação Através de nuvens ou do vento.

Axinomancia - Através Método de adivinhação do desgaste produzido pelo azeviche fundido.

Axiomancia - Método de adivinhação Através de um fugitivo.

Belomancia - Método de adivinhação Através de como as flechas ficam cravadas.

Bibliomancia - Método de adivinhação Através da interpretação de palavras ou frases da Bíblia, ou de outro livro aberto ao acaso.

Botanomancia - Método de adivinhação Através da colheita de cinza e ramos e das árvores da folhagem.

Brizomancia - Método de adivinhação Através dos sonhos. Uma forma antiga de Oniromancia.

Cafeomancia - Método de adivinhação Através da interpretação da borra do café.

Capnomancia - Método de adivinhação Através da fumaça lançada ao vento.

CARTOMANCIA - Método de adivinhação Através das cartas de baralho ou Tarô.

Catroptomancia - Método de adivinhação Através de espelhos.

Caomancia - Método de adivinhação Através de imagens aéreas.

Capnomancia - Método de adivinhação Através de queima de determinadas ervas.

Causinomancia - Método de Adivinhação Através do fogo. (Outro

seria nome Piromancia.)

 

PROF. Kiber SITHERC

 

 

Bruxas Pictures, Images and Photos

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:33
tags:

Bruxas Pictures, Images and Photos

Ceromancia - Método de adivinhação Através da cera derretida da vela que caiu na água.

Cleifomancia - Método de Adivinhação Através do movimento da chave suspensa por um cordão.

Cleromancia - Método de Adivinhação Através do lançamento de dados.

Clidomancia - Método de Adivinhação Através do movimento da chave suspensa por um cordão.

Craniomancia - Método de adivinhação Através das Inclinações crânio de um.

Crimomancia - Método de Adivinhação Através do movimento das pérolas quando um culpado se aproxima.

Criptomancia - Método de adivinhação Através cozimento de massa.

Cristalomancia - Método de adivinhação Através de um cristal, como uma bola de cristal.

Crivomancia - Método de adivinhação Através de uma peneira.

Cromniomanica - Método de adivinhação Através de cebolas.

Dactilomancia - Método de adivinhação Através de um anel de ouro.

Dafnomancia - Método de Adivinhação Através do som da queima de ramos de louro.

Dactilomancia - Através Método de adivinhação do material usado para uma criação de um anel do consultante.

Datilomancia - Método de Adivinhação Através do formato dos dedos.

Demonomancia - Método de adivinhação Através da Invocação Demónio de um.

Dendromancia - Método de adivinhação Através da observação de troncos e arbustos.

Enomancia - Método de adivinhação Através da cor e da textura de um vinho.

Eromancia - Método de adivinhação Através de um copo de água.

Eolomancia - Método de adivinhação Através da direcção da Movimentação das nuvens e sem vento.

Escapulomancia - Método de adivinhação Através da interpretação de ossos de animais.

Esticomancia - Método de adivinhação Através da interpretação de uma página de um livro aberta por acaso.

Estolisomancia - Método de adivinhação Através da maneira de vestir das características e do consultante.

Filodoromancia - Método de Adivinhação Através do som de pétalas golpeadas contra a mão do consultante.

Gastromancia - Método de adivinhação Através da ventríloqua.

Geomancia - Método de adivinhação Através dos pontos vitais da terra.

Giromancia - Método de adivinhação Através da sequência de tombos e da desorientação de uma pessoa.

Glossomancia - Método de adivinhação Através da interpretação do formato da língua de uma pessoa.

Halomancia - Método de Adivinhação Através do desenho de sal derramado em uma superfície lisa. (Outro nome seria Alomancia

Hariolomancia - Método de adivinhação Através de idosos.

Hepatomancia - Método de Adivinhação Através do formato do fígado de animais sacrificados.

Heteromancia - Método de adivinhação Através uma forma do voo das aves.

Hidromancia - Método de adivinhação Através da aparência e do movimento da água além das batidas das ondas nas pedras.

Hieromancia - Método de adivinhação Através das entranhas de animais.

Hipomancia - Método de Adivinhação Através do som do cavalgar de cavalos.

Ictiomancia - Método de adivinhação Através da parte interna, cor e alimentação dos peixes.

Lacomancia - Método de adivinhação Através da interpretação dos dados.

 

PROF. Kiber SITHERC

 

916 Pictures, Images and Photos

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:27
tags:

Lampadomancia - Método de adivinhação Através da interpretação de Raios e Trovões.

Lecanomancia - Método de adivinhação Através da interpretação de pedras preciosas lançadas numa bacia cheia de água.

Libanomancia - Método de adivinhação Através da fumaça produzida por incensos.

Licnomancia - Método de adivinhação Através da interpretação de figuras reflectidas pela luz ou pela sombra das velas ou tochas.

Litomancia - Método de adivinhação Através de pedras arrojadas uma uma luz.

Melanomancia - Método de adivinhação Através das manchas na pele e outros sinais de um indivíduo.

Miomancia - Método de adivinhação Através de ratos e ratazanas numa moradia.

Molibdomancia - Método de adivinhação Através dos ruídos do chumbo sendo fundido.

Necromancia - Seria Método de Adivinhação Através dos Mortos (Outro nome Nigromancia.)

Nefelomancia - Método de Adivinhação Através do formato das nuvens.

Nigromancia - Método de adivinhação Através dos mortos. (Outro nome seria Necromancia.)

Nominomancia - Método de adivinhação Através da primeira letra do nome de alguém.

Oculomancia - Método de adivinhação Através dos olhos.

Ofiomancia - Método de adivinhação Através das serpentes.

Oinomancia - Método de Adivinhação Através do vinho.

Onfalomancia - Através Método de adivinhação do número de filhos de uma mulher.

Onicomancia - Método de adivinhação Através de desenhos feitos de azeite.

Oniromancia - Método de adivinhação Através dos sonhos.

Onomatomancia - Através Método de adivinhação do significado nome de um.

Oomancia - Através Método de adivinhação do rompimento da casca de um ovo. (Outro nome seria Ovomancia.)

Ornitomancia - Método de adivinhação através do e Canto do voo de aves.

Ovomancia - Através Método de adivinhação do rompimento da casca de um ovo. (Outro nome seria Oomancia.)

Partenomancia - Arte de adivinhar se um mulher é virgem somente pelo olhar.

Pegomancia - Método de Adivinhação Através do tempo que o fogo leva para queimar algum Objecto de valor sentimental para o consultante.

Piromancia - Método de Adivinhação Através do fogo. (Outro nome seria Causinomancia.)

Podomancia - Arte de adivinhar pela leitura dos pés ou dos artelhos.

Psicomancia - Método de adivinhação Através da comunicação os mortos com.

Quiromancia - Método de adivinhação Através das linhas e sinais da mão do consultante.

Rabdomancia - Método de adivinhação Através de uma varinha mágica.

Rapsodomancia - Método de adivinhação Através das tiragens de um poeta.

Salimancia - Método de adivinhação Através de figuras feitas de sal.

Selenomancia - Através do Método de adivinhação e movimentos da lua do estado.

Sicomancia - Método de Adivinhação Através do tempo que uma pergunta escrita levaria para secar.

Tefromancia - Método de adivinhação Através das cinzas Criadas a partir de animais sacrificados.

Teimância - Método de adivinhação Através das folhas de chá.

Teomancia - Método de adivinhação Através da inspiração divina.

Tiromancia - Método de adivinhação Através das características físicas de um queijo.

Uromancia - Método de adivinhação Através da urina.

Xilomancia - Método de adivinhação Através das características físicas de um graveto de madeira.

Zoomancia - Método de Adivinhação Através do apetite e movimento dos animais.

 

PROF. Kiber SITHERC

 

Bruxas Pictures, Images and Photos

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:17
tags:

02
Dez 09

 

            A interpretação mitológica deste signo, que simboliza a brilhante amizade, a união harmónica de duas naturezas ou caracteres, é muito duvidosa em relação aos povos da Caldeia, devido ao facto de, em princípio, ter sido representado de duas maneiras: com um monte de ramos ou, com dois meninos voltados um para o outro. Para alguns historiadores, contudo, a dita representação estará ligada aos filhos gémeos de algum rei da Babilónia, cujo trono herdaram e governaram em conjunto, facto que de qualquer forma, pertence ao domínio da lenda. Parece muito mais razoável a tradição que pretende assimilá-lo à entranha amizade entre os heróis Gilgamesh e Enkidu, da mitologia mesopotâmia.
            Por outro lado, não há dúvida de que, no terreno da mitologia grega, os referidos gémeos se transformaram em Castor e Polux, nascidos da esposa do rei de Esparta, Leda, em consequência da sua união com Zeus (Júpiter), que adoptou a forma de um cisne para a fecundar. É proverbial a amizade que sempre existiu entre estes irmãos míticos, símbolos da dupla personalidade harmónica que se atribui aos nativos deste signo.
            Para os Egípcios, Geminis representava Hórus e Harpócrates o deus falcão, filho da deusa Ísis, enquanto para os hebreus era uma misteriosa porta dupla. A do Céu? A que separa o mundo da luz do das trevas, o bem do mal que se aninha no homem? Da dupla personalidade dos nativos deste signo?
 
            Gémeos, cheios de contraste, está dominado por Mercúrio, planeta de inteligência e do espírito, circunstância que, muito provavelmente, condiciona o carácter inexecutável daqueles que nascem sob a sua influência e que, além disso, põem uma dupla importante questão: os Gémeos são felizes? É-se feliz com eles?
            A dificuldade de tais interrogações é aumentada pelo facto de que, para lhes dar uma resposta adequada, seria necessário definir com exactidão o ser que as origina, penetrando na sua natureza cativante e no seu violento temperamento, para se compreender a fundo as suas imprevistas reacções.
            Sem dúvida, é preciso a ambiguidade da sua natureza que proporciona aos nativos deste signo o encanto que os caracteriza e os converte naquilo que são, personagens que tão depressa se manifestam se uma maneira como de outra, sem explicação aparente, mergulhando num mar de incertezas aqueles que os apreciam.
 
            O Gémeos é muito subtil, astuto, sagaz, eloquente e convincente. Empurrado pelos seus impulsos inconscientes, vai e vem sem se demorar muito numa posição. Por isso lhe falta profundidade e é incapaz de um esforço longamente sustentado, embora possua memória prodigiosa aprenda com rapidez qualquer tipo de disciplina. No fundo, digamo-lo em sua honra, é honesto e sincero, mesmo quando dá a impressão de agir enganosamente, de exagerar e falsear tudo aquilo que faz.
            No terreno dos aspectos positivos, apontemos as suas virtudes mais destacadas, que são o bom raciocínio e o optimismo. O seu ar de juventude, o seu corpo de eterno adolescente, a sua altura esbelta, permitem-lhe quase sempre, dissimular alguns anos. Isso não o impede, antes pelo contrário, de uma certa informalidade nas suas relações amorosas. Em política, são teóricos ou protagonistas.
 
            Os traços mais desfavoráveis e menos harmónicos dos nativos de Geminis são a inconstância e a dificuldade de se encontrarem.
            Egoístas, superficiais, arrogantes, nervosos, calculistas, vaidosos e esquecidos. Ainda com aspectos negativos, confere intranquilidade, alteração, hipocrisia, ruptura, divisão e contradição.
                Não se pode contar com eles para um trabalho ordenado e meticuloso.
            Mercúrio, o planeta da juventude, rege Gémeos, por isso, abarca tudo o que se refere aos bandos de delinquentes juvenis. Mas, ao mesmo tempo, influi nas especulações, nos negócios ilícitos e isto faz com os seus limites se alarguem aos ladrões e vigaristas de qualquer amplitude. No aspecto puramente psicológico, devido à sua superficialidade e aos cerebralismo, ao seu nervosismo e à sua inquietação, à sua instabilidade e às suas constantes contradições, peculiaridades que nele surgem de m modo simultâneo, o nativo de gémeos cometerá o seu crime com surpreendente sangue frio. Trata-se, quase sempre, de actos ocasionais, não isentos de uma boa dose de infantilismo e motivados pela frustração. E como tais causas carecem, como se vê de uma forte justificação moral, o crime cometido parecerá estúpido, e inclusivamente desnecessário, aos olhos de qualquer observador minimamente imparcial.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 23:55

 

 

            No ano 950, na Dinamarca, havia um homem muito violento, chamado Harppe, era temido por seus vizinhos, sempre em disputas e maltratando quem quer que seja.

            Um dia achou-se doente e este disse à esposa: “Eu nunca estive doente na minha vida, portanto, é provável que esta doença acabe com a nossa convivência. Quando eu morrer quero que escaves a minha sepultura na porta da cozinha, para eu cheirar a boa comida que fazes, coloca-me na sepultura de pé, para que eu veja tudo o que é feito na minha casa”. Vigdis, a sua esposa fiel, fez o que ele tinha ordenado.
            Passado uma semana, Harppe era visto com o seu espectro tenebroso na vila. Começou a matar os trabalhadores, e a assustar os vizinhos para que ninguém habitasse perto da casa dele. A situação começou a ser insuportável na vila.
 

 

            Houve um homem corajoso chamado Olaus Pa, este enfrentou o temível vampiro, esperou que esse aparecesse e quando o viu o horrendo espectro, lançou-lhe uma lança e ele desapareceu.
            Na manhã seguinte foram desenterrá-lo, encontraram o corpo intacto, e tinha a lança espetada no sítio onde tinha sido espetada. Eles levaram o caixão com o corpo e fizeram uma queimada, as suas cinzas foram lançadas no mar e ficaram livres do maldito vampiro para sempre.  
            Esta história fazia parye de uma grande colectânea nórdica de vampiros. Os Franceses: Charles Nodier (1780-1844), divulgaram no Ocidente, e mais tarde Plancy Collin inseriu no seu Dictionnaire Infernal (1863).
 
PROF. KIBER SITHERC
 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 20:16

01
Dez 09

            Considerado o primeiro animal doméstico. O gato, sede sempre, esteve associado a ritos sagrados, à magia e superstição. Era animal sagrado na antiga Índia. No Egipto foi elevado à categoria de divindade, pois se considerava que tinha poderes proféticos. Uma cidade inteira, Bibastis, era consagrada à adoração desse felino e um festival em honra do mesmo era realizado todos os anos, no mês de Maio, com a participação de cerca de meio milhão de peregrinos. Uma importante deusa do panteão egípcio, Bast, era representada com o corpo de mulher e cabeça de gato. Os gatos mortos eram embalsamados e enviados a Bubastis para o funeral.

            Também na antiga Grã-Bretanha, os gatos eram animais de prestígio, onde ritos sagrados eram realizados em sua honra.
            Nas terras escandinavas, principalmente na Suécia e Noruega, prestava-se culto à deusa Freya, que estava associada ao amor e à beleza. Diziam que ela era a mais bela deusa existente. Possuía uma coroa de flores na cabeça e era encarregada de repartir o orvalho, todas as manhãs, sobre os campos. Reinava sobre a vida, sobre a morte, sobre o amor, sobre a magia e sobre todos os animais, em especial os gatos.   
            Quando precisava de se deslocar, tinha uma carruagem que cruzava o céu em grande velocidade conduzida por dois gatos: Bygul (abelha de ouro) e Trjgul (árvore do âmbar dourado). Conta-se que eram tão grandes e fortes que um dia o grande Thor, deus do relâmpago, sentado no seu trono quis pegar num desses gatos para colocar no seu colo e não conseguiu levantá-lo do chão.
 
            A excepcional resistência do gato, capaz de sair ileso de situações mas que outros animais, com certeza morreriam, levou a crença de que este felino tem mais de uma vida (sete vidas). Não há dúvida de que seus hábitos nocturnos, seus olhos refulgentes na escuridão, sua sobressalente agilidade e sua pose majestosa contribuíram para que os antigos sentissem uma especial admiração, e inclusive veneração, por este animal. Conta-se que, por exemplo Maomé cortou a manga de sua vestimenta para não perturbar o sono de seu gato que dormia sobre ela. O profeta via nele uma criatura digna do maior respeito e de um tratamento afectuoso.
 
            Mesmo em culturas em que foram adorados como divindades, os gatos não escapam às torturas e mortes terríveis, devidas a seus supostos poderes sobrenaturais. Em diversas regiões do mundo, os gatos eram enterrados por baixo das plantações após morrerem por espancamento, que simbolizava o amaciamento dos cereais. Acreditava-se que isto garantia colheitas abundantes, talvez pelo antigo mito da fertilidade do gato, associado à deusa Bastet. Na Europa de outrora, além de queimados nas fogueiras por feitiçaria, os gatos eram emparedados vivos dentro de edifícios em construção, para que o prédio não fosse atacado por roedores ou espíritos malignos. Gatos pretos foram perseguidos por supostas ligações com o demónio. Originou-se daí a crença. Na Inglaterra, de que um gato preto atravessando o caminho é sinal de boa sorte. Boa sorte porque ele se foi e deixou de fazer-nos mal. Também se acreditava que ao pedir um desejo nesse instante (por se ver um gato preto), que se realizava. Entretanto, na América, a crença inverteu-se, passando o gato preto a representar azar.
            Havia a crença que se tivesse um gato preto, a sorte sorrir-lhe-ia enquanto tratasse dele com dedicação. Se o desprezasse, teria sete anos de azar, que era a vida do gato.
             Na Europa, acreditava-se que um gato com a pata por trás da orelha ou bocejando era sinal de chuva e que um gato ronronando significava bom tempo.
            Ouvir o gemido de um gato, quando se está a iniciar uma longa viagem, anuncia um grave acidente no caminho. Pelo contrário, um gato que espirra é um sinal de sorte.
 
Também no Camboja os gatos trazem chuva, existindo mesmo um antigo ritual em que um gato é levado de aldeia em aldeia e aspergido com água.
            No Japão, um gato com a pata levantada é um dos símbolos da boa sorte, conhecido por Maneki-Neko, e o gato é ainda hoje usado como amuleto pelos marinheiros durante as tempestades.
            Na Tailândia, onde acreditava-se que as almas das pessoas muito evoluídas migravam para o corpo de um gato e depois subia aos céus, havia um ritual em que um gato era enterrado vivo junto com o morto. No túmulo havia um buraco para que o animal saísse, e assim os monges sabiam que a alma já havia penetrado em seu corpo.
            Na China, atribuía-se aos gatos o poder de se vingarem dos seus assassinos.
 
            Acreditava-se que eles diziam às bruxas o que fazer ou ainda escutavam as conversas dos donos da casa para passar informações e instruir aos bruxos o que deveriam fazer. Era tão grande a crença dessa ligação, que da mesma forma que se queimavam as bruxas se queimavam os gatos, havia até um dia especial dedicado à queima dos gatos.
            As bruxas possuíam gatos como quaisquer pessoas hoje os possuem, mas também possuíam por outra razão em especial: acreditavam que os gatos tinham a capacidade de perceber e entrar em contacto com outras entidades e com espíritos.
            Nessa época, não era permitido que um gato entrasse num cemitério enquanto se realizava as cerimónias de um enterro, pois acreditavam que se um gato estivesse sobre o túmulo ele estaria esperando para apoderar-se daquela alma.
 
            A origem desta crendice era devida à prepotência humana e ao orgulho dos gatos, pois eles não se submetiam às ordens dos homens como os demais animais. Acreditava-se que os gatos tinham pacto com os demónios e com as bruxas entre outros pelos seguintes factos:
            Eles tinham habilidades de ver coisas que o homem não via; saíam à noite para local onde ninguém se atrevia a ir, pois achavam que durante a noite eram os demónios que saíam; tinham facilidade de antever a morte; muitos gatos eram atirados do alto das igrejas para que morressem e, no entanto, caiam em pé e fugiam.
            Até o simples facto de falar com um gato era considerado sinal de bruxaria.
           
            Os gatos também eram utilizados nas adivinhações. Colocavam vários objectos com um determinado significado num local, em seguida “pediam” para que o gato escolhesse um deles. Acreditava-se que a sua escolha baseava-se na sua capacidade de comunicar-se com as entidades ocultas e saber as suas respostas. Também eles “funcionavam” como um radar para perceber as más energias das pessoas e dos lugares.
            As tradições nórdicas associavam os gatos às fadas. As pessoas acreditavam que através de seus olhos, poderiam penetrar e conhecer este maravilho mundo alheio aos olhos dos mortais.
 

 

´           As capacidades de perceber com antecedência a morte de uma pessoa, fenómenos e desastres naturais que são comuns, em alguns gatos eram “profecias” levadas muito a sério antigamente. Um dos casos mais misteriosos, divulgado recentemente pela comunicação social, foi o extraordinário poder de percepção dum gato nos Estados Unidos.
 
            Oscar é um gato de dois anos que tem a capacidade de prever a morte dos doentes. Segundo os médicos, quando Oscar visita os residentes do centro de reabilitação para Idosos de Providence, Estados Unidos, eles (os médicos) já sabem quem deve morrer nas próximas horas. O animal tem o hábito de se enrolar ao lado dos pacientes, durante as suas últimas horas de vida. Refira-se que em geral, são doentes em estado grave, que aparentemente nem sabem quem se aproxima deles.
            Segundo um estudo publicado no New England Journal of Medicine, o gato foi ao leito de mais de 25 residentes da clínica pouco antes de eles morrerem. Joan Teno, professora de saúde comunitária da Universidade Brow, que atende aos pacientes da clínica, afasta o cepticismo. “O gato parece sempre nas últimas duas horas de vida dos pacientes”, garantiu. Ela não acredita, porém, que o felino tenha faculdades paranormais. “É possível que haja uma explicação química”, sugeriu, tentando explicar as fatídicas andanças do gato de pêlo cinzento e branco, que passa a maior parte do tempo no terceiro andar, onde vivem os pacientes com problemas mentais.
            Oscar, foi adoptado pela instituição e, segundo a notícia a BBC online, costuma fazer rondas pelo edifício, tal como os médicos e os enfermeiros, mas não é especialmente amigável com os doentes.
            Em declaração à BBC, um perito em felinos explicou que “os gatos podem sentir quando os seus donos ou outros animais estão doentes. Podem pressentir quando o tempo vai mudar e são conhecidos por serem sensíveis à premonição de terramotos”, afirmou Thomas Graves.
            Aí temos a Ailuromancia, que convido a todos os curiosos para experimentarem.
 PROF. KIBER SITHER
 
 
gatos Pictures, Images and Photos

gatos Pictures, Images and Photos

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 23:21
tags:

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
favoritos

A ORIGEM DO RISO

mais sobre mim
blogs SAPO