Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

03
Jan 10

 

Depois de Alcácer Quibir
El Rei D. Sebastião
Perdeu-se num labirinto
Com seu cavalo real

As bruxas e adivinhos
Nas altas serras beiras
Juravam que nas manhãs
De cerrado de nevoeiro
Vinha D. Sebastião

Pastoras e trovadores
Das Regiões litorais
Afirmaram terem visto
Perdido entre os pinhais
El Rei D. Sebastião

Ciganos vindos de longe
Desconhecidos falcatos
Tentando iludir o povo
Serem enguias afirmaram
El Rei D. Sebastião
E que voltava de novo

Todos foram desmentidos
Condenados às tempestades
Pois nas praias dos Algarves
Trazidos pelas marés
Encontraram o cavalo
Farrapos do seu gibão
Pedaços de nevoeiro
A espada e o coração
de El Rei D. Sebastião

Depois de Alcácer Quibir
virá D. Sebastião
E uma lenda nasceu
Entre a bruma do passado
Chamam-lhe "O Desejado
Pois que nunca mais voltou
El Rei D. Sebastião
El Rei D. Sebastião
 
JOSÉ CID 
 
            Desde o desaparecimento do Rei D. Sebastião, que o povo português esperava o regresso do seu monarca, e o povo desta freguesia não constitui excepção.
 
            Assim sendo, reza a lenda que os Portossantensses acreditavam que o rei estava refugiado numa pequena Ilha, situada atrás do Porto Santo, mas nunca ninguém a podia ver, porque estava submersa. Mas, um dia de nevoeiro, essa Ilha viria emergir, e o esperado rei viria a Porto Santo.
 
            Existia ainda uma outra versão desta lenda, que conta que o Rei D. Sebastião ia aparecer numa Quinta- Feira e no dia de S. João. Nesse dia, a cidade do Funchal era arrasada e a escada do Monte servia de cais. Contava o povo local que ele ia aparecer numa bela praia do Porto Santo. Nesse momento as pessoas tinham de fugir e não olhar para trás, senão transformavam-se em pedras de mármore.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
 
 
 
 
 
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 15:16

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
favoritos

A ORIGEM DO RISO

mais sobre mim
blogs SAPO