Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

23
Jan 10

 

            Em algumas pessoas o poder sugestivo da voz desenvolve-se naturalmente até atingir um alto grau, sem que para isto tenham contribuído voluntariamente. O advogado, por exemplo, na constante lida da sua profissão, desenvolve-a constantemente e inadvertidamente, ora acusando este, ora defendendo aquele. E, pelo contínuo uso que dela faz, chega a arrebatar os ouvintes, conseguindo muitas vezes convencer os jurados e, até o próprio juiz. Quantas vezes este advogado ganha uma causa mais pelo prestígio da sua voz, da sua eloquência, do que propriamente pelas provas que apresenta!
            Vem a propósito citar aquela anedota dum advogado que, tendo conseguido a absolvição dum larápio, perguntou ao seu cliente:
            - Então, que tal achou o meu discurso?
            - Esplêndido, senhor doutor, Antes de V. Ex.ª falar estava convencido que tinha roubado, mas depois de o ter ouvido, já não sou da mesma opinião!
 
            Por uma voz enérgica não se compreende uma voz áspera, desagradável, mas sim aquela que impera no espírito por persuasão, aquela que não admite réplica.
            Uma voz dura nunca foi recomendável num hipnotizador, porque de nada lhe serve; em vez de bom êxito, seria o fracasso no coroamento dos seus esforços.
 
            Julgam muitas pessoas que convencem facilmente, gritando ou empregando grandes e repetidos gestos. Outras há ainda que para convencer não faz o menor esforço: falam por falar com voz monótona que aborrece. Para falar e principalmente quando se deseja convencer, deve falar-se com um tom de voz penetrante e sugestivo. Não se deve falar alto. De modo algum frouxa ou duvidosamente, pois deve ter-se em vista que é mais fácil acreditar numa palavra menos verdadeira dita dum modo firme, do que noutra anunciada afrouxamento, sem convicção e, por conseguinte, denotando falta de verdade.
            Empregar pois, de futuro, ao falar, um tom firme, convicto e tranquilo.
            Nada de estender os braços em grandes gestos para acentuar afirmações ou manifestar impaciência.
            Não irritar nunca por ouvir frases desagradáveis, mas em lugar de ira que redunda em perda de energia, responder com altiva frieza de forma a mostrar que se é superior por pensar a quem ofende.
 
            A voz nunca deve trair comoção, nem por outra forma exterior, especialmente pelos músculos do rosto, se deve manifestar o pensamento que actua no cérebro, ou a emoção determinada por factos, que pela sua importância, influam no sistema nervoso.
            Ser delicado sem ser demasiado atencioso, pois que os favores repetidos, sem serem solicitados, denotam submissão.
           
            Se você conhecedor do modo de dirigir a vontade, a primeira impressão que inspira é de simpatia. Nada o altera nem inquieta. Mostra-se sempre sossegado, atencioso, nunca falando mais alto que o necessário para ser ouvido, porém, quem com ele trate, instintivamente o respeita, porque reconhece que por detrás dessas boas qualidades, possui uma força irresistível que poderá empregar quando lhe aprouver esse poder. Não fale pois, senão em assuntos que conheça bem, nem emita opiniões sobre assuntos para si desconhecidos.
            Não fale irreflectidamente. Lembre-se que, se nalgumas ocasiões, a palavra é de prata, o silêncio é de ouro. Aproveite todas as ocasiões para a prática do bem falar.
            Um amigo ou uma pessoa íntima pode ir observando o seu progresso, apontando os seus erros e pontos fracos, podendo mesmo auxiliar, mantendo consigo conversações de exercício e dando uma opinião sincera. Ao cabo de algum tempo, sem dúvida, terá progredido no dom da palavra, pois ela será o mais forte apoio para o seu trabalho em quase todas as fases do estudo do hipnotismo. Esta mesma faculdade, será ao mesmo tempo preciosa para o desenvolvimento da sua personalidade, isto é, da sua influência pessoal, que terá uma acção primordial na sua vida particular, íntima, de trabalho ou de negócio.
 
            A voz deve ser bem articulada, cheia, clara, sem hesitações, quente e convincente, dominadora mas simpática, sem autoridade.
            A voz é susceptível de ser desenvolvida por exercícios adequados. Depois disso torna-se duma grande utilidade para o hipnotizador, principalmente no tratamento das doenças em que a sugestão representa um papel preponderante.
           
            A voz não adestrada é quase sem acção, sem energia sugestiva e, por isso torna-se incapaz de levar o espírito do paciente a executar uma ordem. É quase nula na realização.
            Recomendamos o exercício que se segue, para desenvolver a força sugestiva da voz.
 
            Exercício
            Escolhei, para praticar este exercício, um aposento sossegado, onde ninguém vos possa importunar.
            Aproximai-vos então dum espelho onde se reflicta o vosso corpo inteiro. Fixai a vossa imagem, na raiz do nariz, entre os dois olhos, sem pestanejar, dizei num tom sereno mas convincente, como se falásseis a outra pessoa:
            - A minha voz é poderosa… ninguém lhe pode resistir… é convincente… ninguém pode fugir à sua influência sugestiva… Todos me obedecerão a uma simples ordem… Infundo respeito e admiração… a minha voz cativa os corações… é forte, mas agradável…
            E depois repeti, soletrando, pausadamente as sílabas:
            - A mi… nha voz é po… de… ro… sa.
            - Nin… guém lhe re… sis… te.
            Esta sugestão, que se repete várias vezes, deve ser dita convictamente, em tom que não admite réplica.
            Depois de algum tempo, verificareis que as vossas opiniões serão respeitadas pelos que vos rodeiam e aceites como as mais razoáveis.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 23:42

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
favoritos

A ORIGEM DO RISO

mais sobre mim
blogs SAPO