Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

31
Jan 10

 

            D. Paio Peres Correa,  conhecedor da situação privilegiada da velha fortaleza e da vigilância apertada que os mouros exerciam, mandou batedores no intuito de estudar as características do local e os hábitos das gentes, com vista à elaboração do seu plano de ataque.

            Conseguiram “aliciar” uma moura de nome Maria Aires, de raro encanto, que lhes contou, como era costume e habito muito antigo e ainda observado, na madrugada do dia 24 de Junho os habitantes da região irem tomar banho à Praia da Amoreira.
            Tanto bastou para que D. Paio arquitectasse o seu plano de ataque, tirando proveito daquela tradição mourisca.
 
            Assim, na noite de 23 para 24 de Junho, as tropas portuguesas esconderam-se num vale próximo do castelo que hoje é conhecido pelo Vale de D. Sancho, em honra daquele grande valoroso Monarca (D. Sancho II) e aguardaram que, com o amanhecer, os mouros iniciassem o  seu ritual.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 23:31

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
favoritos

A ORIGEM DO RISO

mais sobre mim
blogs SAPO