Esoterismo, Lendas, Mitos, Parapsicologia, Auto-Ajuda. kiber-sitherc@sapo.pt

29
Dez 09

 

            Há uns milhares de anos, existia uma ilha no Oceano Atlântico. Esta ilha era chamada de Atlântida, e o povo que nela vivia encontrava-se na civilização mais avançada no seu tempo. Alguns dizem mesmo que era a mais avançada que já existiu! Mas este povo avançado tornou-se muito arrogante, achando que podia conquistar o mundo inteiro. A ousadia era tanta que o rei desta civilização atraveu-se a desafiar os céus. Os deuses avisaram-no que ele nada podia diante do poder deles. O rei não se abalou com o aviso, seguindo até a Grécia e atacando Atenas. Durante a batalha, o rei foi novamente avisado pelos deuses que nada podia diante do poder deles, e que a vitória seria de Atenas. E assim foi, além de perder a guerra o rei foi castigado duramente, pois terríveis tempestades, terremotos e maremotos destruíram por completo Atlântida. Séculos e mais séculos se passaram sem que alguém pudesse localizar o local onde um dia existira Atlantida.
 
            Um dia, a Virgem Maria estava debruçada nos céus, sobre o oceano, sentada numa nuvem. São Silvestre aproximou-se para falar com ela. Era a última noite do ano e São Silvestre achava que deveria ser uma noite especial, com um significado diferente para os homens, marcando uma fronteira entre passado e futuro, um momento propício para o arrependimento do que fizeram de errado e de esperança por um futuro melhor.
 
            Ao ouvir o que pensava São Silvestre, A Virgem Maria achou a idéia muito boa. Foi então que revelou a ele o que fazia ali sentada observando o oceano, com certa tristeza. Estava lembrando da bela Atlântida, que fora destruída pelos erros e pecados de seus habitantes. Conforme falava de Atlântida, a Virgem Maria deixou cair lágrimas de profunda tristeza e misericórdia. É que apesar do castigo ao povo da Atlântida a humanidade não havia aprendido a lição, e continuava cometendo os mesmos erros. São Silvestre estava comovido com as palavras e a tristeza da Virgem Maria.
 
            Observando-a percebeu que suas lágrimas não eram simples lágrimas, eram na verdade pérolas que caíam dos olhos da Virgem. Um destas pérolas-lágrimas, caiu exatamente no local onde antes, no vasto oceano, existiu a Atlântida. Esta pérola acabou por dar origem à Ilha da Madeira, que é conhecida como Pérola do Atlântico.
 
            Dizem os mais velhos que por muito tempo, nas noites de fim de ano, ao dar a meia noite, surgia nos céus um verdadeiro espetáculo de luzes e cores fantásticas, que perfumavam o ar com um aroma estonteante. O tempo foi passando, e estas luzes e cores deixaram de aparecer. Mas os homens, para recordar este fenómeno passaram a usar os fogos de artifício para celebrar a Noite de São Silvestre.
 
PROF. KIBER SITHERC
 

 

Gifs de FogosGifs de Fogos

Gifs de FogosGifs de FogosGifs de Fogos

Gifs de FogosGifs de Fogos

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:46

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
favoritos

A ORIGEM DO RISO

mais sobre mim
blogs SAPO